Sobre mim

 > Se você procura pelo meu currículo, por favor, clique aqui.

Bem, é melhor fazer uma retrospectiva...

  • 1971: nasci, em 23 de setembro, no Hospital Naval Nossa Senhora da Glória, atual Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória, na Tijuca, no Rio de Janeiro. Filho único. Ao lado, uma foto de 2011, tirada no 12º Fórum Internacional de Software Livre (FISL 12).
  • 1972: o meu pai, oficial da Marinha do Brasil, foi transferido para Belém/PA. Ficamos lá por três anos. Morávamos na Base Naval de Val-de-Cães, na mesma rua do clube militar, o Espadarte. Neste link encontrei um site não oficial que mostra diversas fotos da base. Em Belém eu conheci coisas legais como pupunha. O meu pai sempre assava castanha de cajú no gramado da casa de noite. Tenho boas lembranças de lá. Lembro muito bem da casa onde morei e a reconheci quando fui dar uma palestra em Belém em 2009.
  • 1975: voltamos para a cidade do Rio de Janeiro. Fomos morar provisoriamente na Rua Siqueira Campos, em Copacabana. Era um pequeno apartamento com um quarto, cozinha e banheiro. Não tinha sala.
  • 1976: nos mudamos para a Rua Marquês do Paraná, no Flamengo, para apartamento de três quartos que o meu pai comprou. Era grande. Então, o Instituto Nossa Senhora de Piedade, na mesma quadra, foi a minha primeira escola. Lá morei até me formar. Neste ano, comecei a me interessar por como os brinquedos funcionavam. Também fazia experiências incendiárias com álcool e outras coisas, escondido dos meus pais. Quase morri em explosões de garrafas etc. Mas ninguém nunca  soube disso...
  • 1982: comecei a estudar eletrônica por conta própria. Usava a revista Bê-a-Bá da Eletrônica (procure no Google ou veja aqui). Estudei muito até, mais ou menos 1987. Esses conhecimentos, hoje, são essenciais para mim. Posso dizer que me viro bem em eletrônica analógica. Em 2010, por exemplo, um técnico me cobrou R$ 40,00 para consertar uma daquelas mini TVs antigas. Consertei eu mesmo por R$ 0,10. Identifiquei rapidamente o problema: o trimpot de sincronismo horizontal. Também, no fim de 1982, fui aprovado no concurso de admissão para a 5ª série do 1º grau do Colégio Militar do Rio de Janeiro (atual 6º ano do ensino fundamental). Eram 832 candidatos e 80 vagas. Fui o 73. O meu grande amigo de infância e adolescência, Felipe Louzada, foi o 72.
  • Computadores TK 82C, TK 85, TK 90X, Expert MSX e IBM PC XT.

    1983: comecei o meu curso no CMRJ e lá fiquei até o fim de 1988. Aluno Nr 850. No meu aniversário, ganhei o meu primeiro computador. Um TK 82C, linha Sinclair, da Microdigital. Tinha 2 KB de memória RAM. O meu grande amigo Marcelo Paiva Fontenele tinha um TK 85. Acho que, naquela época, na 5ª série, só nós dois tínhamos computador. Estudávamos pelos manuais dos computadores, que ensinavam a programar na linguagem embarcada BASIC e pela revista Micro Sistemas (procure no Google).

  • Gravador National RQ2222, o mais cobiçado na época do TK 85. Fonte: Carlos Camrdella, em http://www.htforum.com/vb/showthread.php/124806-Windows-3.11/page2.

    1985: na 7ª série do CMRJ, comecei a praticar esgrima e fui bem sucedido. Rapidamente entrei para a equipe do colégio. No meu aniversário ganhei um TK 85 com 48 KB RAM (havia o modelo de 16 KB e o de 48 KB). Nessa época, eu já programava muito bem em BASIC. Havia a loja Ciência Moderna Computação, no Centro do Rio de Janeiro (Edifício Avenida Central). Eu fazia jogos, eles gostavam, vendiam e me pagavam com outros jogos. Simples! Eu consegui, depois de muito esforço e lábia em cima do meu pai, um gravador National RQ2222. Antes eu tinha um piorzinho que não falava bem com o TK 82C e nem com o TK 85. Para quem não sabe, naquela época, os programas eram armazenados em fitas K7. E não era qualquer gravador que tinha a qualidade necessária para que os computadores pessoais entendessem o que estava gravado. O RQ2222 era o mais recomendado, caro e cobiçado gravador da época.

  • 1986: entrei para a equipe de esgrima do Clube de Regatas Vasco da Gama. No meu aniversário ganhei o tão sonhado TK 90X, computador colorido com 48 KB de RAM. Isso era máquina!!!

O Comandante Mota, meu pai.

  • 1987: realizei um grande sonho - cheguei ao 2º grau (atual ensino médio) e entrei para o Esquadrão de Cavalaria do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Com isso, passei a praticar hipismo. A esgrima era uma tradição por lá: era sempre a Cavalaria quem ganhava a modalidade espada nas olimpíadas internas. Também foi publicado na Revista Micro Sistemas Nr 67 o meu primeiro artigo. Ele foi escrito em agosto de 1986, quando eu ainda tinha 14 anos, e está disponível aqui. Nesse mesmo ano o meu pai passou para a reserva da Marinha do Brasil. No entanto, amava tanto a Marinha que estava sempre por lá.
  • 1988: no fim do ano, fui aprovado no concurso de admissão para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx). A partir daquele momento começava a minha carreira militar. No mesmo ano, ganhei no meu aniversário um Expert MSX, o pior computador que já tive. Ele tinha um problema de memória que o fazia travar constantemente.

Campo escola do Grajaú. Fotos de 1991.

  • 1989: para desespero da minha mãe (filho único) e satisfação do meu pai (oficial da Marinha), entrei para o Exército em 20 de fevereiro, como aluno da EsPCEx, para cursar a 3ª série do antigo 2º grau. Aluno Nr 174. Comecei a atirar com carabina de ar mas ainda era esgrimista. Iniciei a prática de escalada e fiz o curso de guia de cordada no Corpo de Bombeiros. Terminado o curso da EsPCEx, automaticamente concluí o antigo 2º grau e fiquei apto a ingressar na AMAN.

  • 1990: entrei para a Academia Militar das Agulhas Negras, AMAN, para fazer o curso superior de Ciência Militares. Cadete Nr 1810. Larguei a esgrima e comecei a atirar com carabinas de ar e 22. No mesmo ano fui convocado para a equipe da AMAN e para a equipe brasileira. Record por equipe na NAVAMAER (competição entre as escolas militares). Na AMAN tive o meu primeiro contato com computadores PC XT. Também, adotei definitivamente o espiritismo para a minha vida.
  • 1991: novo record na NAVAMAER. Nesse ano montei o meu primeiro PC. Era um AT 386 SX 25 com 2 MB de RAM. A partir daí, montei todos os meus computadores e isso ocorre até os dias de hoje.
  • 1992: escolhi a arma de Cavalaria para ser a minha profissão militar pelo resto da vida. Comecei a estudar hardware e MS-DOS a fundo. Engolia livros do Laércio Vasconcelos.
  • 1993: em dezembro, fui declarado Aspirante a Oficial do Exército Brasileiro e bacharel em Ciências Militares. Comprei o meu primeiro carro. Um Chevette Sedan 1.6 branco, ano 1989. Custou cerca de R$ 7.000,00. A foto ao lado não é exatamente dele. No entanto, o meu era idêntico.
  • 1994: cheguei à minha primeira organização militar (OM), onde permaneci até 1997. Era o 4º Regimento de Cavalaria Blindado, em São Luiz Gonzaga/RS. No mesmo ano fui promovido ao posto de 2º Tenente. Comecei a dar aulas de hardware e rede nos cursinhos da cidade. A Teknika Informática era o principal deles. Eu também tinha uma pequena coluna no jornal local (A Notícia). Uma vez por semana eu publicava alguma dica interessante sobre informática.
  • 1995: Internet em casa! Novos desafios e aprendizados! Trumpet, mIRC, Eudora, Netscape e outros bichos... Fui convidado pelo Centro de Informática do Exército de Porto Alegre/RS, atual 1º CTA, para ser instrutor de hardware para oficiais e sargentos do Centro. Uma grande realização profissional para mim.
  • 1996: fui promovido ao posto de 1º Tentente.
  • 1997: fui nomeado instrutor da AMAN. Iniciei, profissionalmente, o uso de GNU/Linux. A distribuição era a Slackware 3.6.

Na foto, atuando como instrutor de mergulho. Foto de 2009.

  • 1998: comecei a minha jornada como instrutor da AMAN, em Resende/RJ. Em fevereiro, nasceu a minha filha, Danielle. No GNU/Linux, passei a usar RedHat 5.0, pois fiz um curso sobre isso, no Rio de Janeiro, durante quatro sábados. Também fiz o meu primeiro curso de mergulho autônomo. E os meus instrutores foram alguns dos meus Cadetes!!! Comecei a ministrar cursos sobre GNU/Linux. Também criei o meu primeiro site na Internet, chamado Hardware Help. Ainda dá para vê-lo na máquina do tempo da Internet (http://web.archive.org). Clique aqui para ver.
  • 1999: fui promovido ao posto de Capitão.
  • 2000: fui designado para a Seção de Informática da AMAN (SPAD, atual Divisão de Informática) e criei o provedor Internet da Academia. A partir desse momento, todos os instrutores e cadetes tinham Internet. Comecei a dar palestras pelo Brasil sobre Linux, redes, segurança, forense computacional e outros assuntos. Escrevi o livro: Linux & Seus Servidores. Esse foi o primeiro livro sobre servidores de rede com GNU/Linux no Brasil. Em novembro, faleceu o meu pai, João Eriberto Mota. Recebi, no Exército, a Medalha Militar de Bronze (10 anos de serviço).

    Os meus dois primeiros livros.

  • 2001: fui designado para cursar a pós-graduação em Ciências Militares no ano seguinte. Me interessei por aviação e comecei a frequentar aeroclubes e a fazer cursos. Escrevi o meu segundo livro: Pequenas Redes com Microsoft Windows. Também criei o primeiro site sobre Iptables do Brasil. Até hoje é uma referência. Obrigado a quem dele se utiliza e elogia. Recebi, no Exército, a Medalha da Vitória, outorgada pela Associação de Ex-Combatentes do Brasil.

  • 2002: fiz a pós na área militar na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), no Rio de Janeiro/RJ. Ao fim do curso fui designado para o 11 Regimento de Cavalaria Mecanizado (11 RCMec), em Ponta Porã/MS. Comecei a me interessar pelo Debian, pois o RedHat não me atendia muito na questão de atualização de uma versão para outra.
  • 2003: me apresentei em Ponta Porã/MS e passei a comandar o Esquadrão de Comando e Apoio do 11 RCMec. Muitas operações na fronteira com o Paraguai e uma excelente tropa. Fui muito feliz por lá. No fim do ano, fui nomeado oficial do Gabinete do Comandante do Exército, em Brasília/DF.
  • 2004: cheguei ao Gab Cmt Ex e fui designado Gerente de Rede e Segurança do Comandante do Exército, função que exerço até hoje. Cursei a pós-graduação em Segurança em Redes de Computadores na Universidade Católica de Brasília e já permaneci como professor do curso. No Exército, fui responsável direto pela adoção oficial do Debian para os servidores de rede, convencendo o Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia, por intermédio de conversas e palestras. Demonstrei cada ponto e levantei todos os prós e contras. Nesse mesmo ano, formei a primeira turma de técnicos que foi para a missão de paz da ONU no Haiti. Sobre Brasília, esta cidade é realmente maravilhosa. Acho que não sairei mais daqui.
  • 2005: criei o site eriberto.pro.br. É possível ver a sua evolução na máquina do tempo da Internet. Clique aqui. Também criei, junto com o amigo André Bertelli, o projeto internacional IPS HLBR. Professor na pós de segurança da Católica. Por discordar de procedimentos, fiquei por um ano e pedi demissão. Ainda, no mesmo ano, a pedido do Departamento de Ciência e Tecnologia, ministrei o curso Linux em Redes TCP/IP, para técnicos de todos os Centros de Telemática do Exército.
  • 2006: escrevi a primeira edição do livro Descobrindo o Linux, com 420 páginas. Fui convidado para criar e coordenar a pós-graduação Lato Sensu em Software Livre no Instituto Superior Fátima, atividade que exerci até 2008. Encerrei o curso por motivos diversos. Com ajuda do amigo Goedson, fiz o meu primeiro pacote Debian. Hoje em dia tenho vários, que podem ser vistos aqui.
  • 2007: comprei, na planta, o meu apartamento em Águas Claras/DF. Também escrevi a segunda edição do Descobrindo o Linux, com 544 páginas. Tive o prazer de ministrar um curso de 2 semanas para o Centro de Computação de Aeronáutica, em Brasília, sobre SO GNU/Linux.

O Major Eriberto... Foto de 2011.

  • 2009: recebi o meu apartamento em Águas Claras! Cidade linda e moderna, planejada e fundada em 2003. Exatos 17 Km de Brasília/DF. Também fui convidado para ser professor no curso de pós-graduação em Perícia Digital na Universidade Católica de Brasília. E fui chamado para a pós-graduação em Gestão de Segurança da Informação na Universidade de Brasília. Recebi, no Exército, a Medalha Militar de Prata (20 anos de serviço).
  • 2010: a Universidade Católica demonstrou interesse pela minha pós em Software Livre. Então, voltei a ser coordenador de curso. Exatamente, em 24 de maio, recusei o convite do Google para trabalhar por lá, fora do país.
  • 2011: 40 anos de idade. Bela idade e ao lado da minha Virginia (a minha micro loirinha linda que conheci em janeiro)!!! Não posso reclamar da vida. Atualmente sou militar, palestrante convidado em diversos eventos (inclusive internacionais), professor nas pós-graduações da Católica e da UnB, informático, aviador, escritor, além de arquiteto, pedreiro, pintor, eletricista e encanador na minha casa. Cozinheiro também! Ainda, migrei este site (http://eriberto.pro.br) para WordPress. Também, convidado pelo amigo Gleyson, comecei dar aula num curso preparatório para concursos chamado Cathedra. Achava que não ia dar certo mas gostei da experiência. Muito interessante.

    Eu e a minha Virginia. Foto de 2011. Eu estava um pouco acima do peso por uns dias...

  • 2012: em 06 de julho foi lançada a 3ª edição do meu livro Descobrindo o Linux, com 928 páginas. Em outubro o livro foi reimpresso pela primeira vez. Tive o prazer de retornar ao Centro de Computação de Aeronáutica, em Brasília, para ministrar 2 semanas de instrução sobre Forense Computacional e Análise de Tráfego em Redes de Computadores. Recebi, no Exército, a Medalha do Pacificador.

atr1

  • 2013: em julho me tornei DM (Debian). Em 1º de agosto foi lançada a 1ª edição do meu livro Análise de tráfego em redes TCP/IP, com 416 páginas. Em novembro o livro Descobrindo o Linux, 3ª edição, foi reimpresso pela segunda vez. Em dezembro foi a vez do Análise de tráfego, reimpresso pela primeira vez.
  • 2014: no Exército, fui promovido ao posto de Tenente-Coronel. Fui convidado pelo FISL para ser palestrante (15º FISL). Depois de muito postergar, com desculpas do tipo "falta de tempo", finalmente me submeti às provas do Debian (NM) em feveiro e me tornei Debian Developer (DD) em julho.
  • Anos vindouros: certamente continuarei a minha história com muita paz, amor, felicidade e luz.  🙂
  • Aguardem os próximos capítulos!