Imprimir post Imprimir post
 

A polarização no novo padrão de tomadas brasileiras

Posted by Eriberto on out 1, 2009 in Hardware, Vida e Curiosidades |

Como muitos sabem, recentemente, o Brasil adotou um novo padrão de tomadas elétricas. Assim, nas lojas, só é possível encontrar esse novo padrão, que pode ser visto na figura a seguir.

Novo padrão de tomada. Fonte: Revista Época.

Novo padrão de tomada. Fonte: Revista Época.

O novo padrão foi desenvolvido, principalmente, para dar mais segurança aos usuários e foi regulado pela norma NBR 14136 (ABNT). A partir de janeiro de 2010, somente poderá ser comercializado o novo modelo.

Como me mudei recentemente, ao procurar nas lojas a tomada NEMA 5P (a famosa tomada de computador), reparei que a mesma não estava mais disponível. Assim, optei por comprar o novo padrão e substituir o plug. Mas surgiu um o problema: vasculhei a Internet e não encontrei o padrão de ligação dos fios na nova tomada. Foram 2 dias revirando o Google. Achei apenas uma referência mas estava um pouco estranha, nada confiável.

Consultando o site do INMETRO, encontrei uma palestra sobre o assunto, de autoria do Sr. Magno de Almeida Ruivo. Em uma rápida busca na Internet, verifiquei que o mesmo trabalha na Siemens e faz parte da ABNT. Assim, por tratar-se de uma pessoa de confiança, resolvi escrever para o Magno. Ele foi muito gentil, prestativo e respondeu no mesmo dia. Ainda, me autorizou a postar a resposta dele neste blog, que transcreverei a seguir:

Caro Eriberto,
Os contatos destinados ao condutor de proteção e do neutro são determinados na norma ABNT NBR 14136. O terminal para o condutor de proteção é sempre o correspondente ao contato central e é obrigatória a marcação na tomada e no plugue. Não existe marcação para o terminal do condutor fase.

A marcação para o terminal relativo ao condutor de proteção é opcional e, quando existe no produto, deve ser conforme indicado na norma NBR 14136. Veja a seguir um exemplo de vista da tomada apresentada na norma (tomada fêmea):

tomada_femea

Polarização da tomada fêmea

Como infelizmente no Brasil existem duas tensões padronizadas, 127V e 220V, nem sempre o borne marcado como neutro será conectado ao neutro, daí o fato da marcação ser opcional.

Destaco que a imagem é meramente ilustrativa e que os dados oficiais devem ser verificados na norma ABNT NBR 14136 de padronização de plugues e tomadas e na norma ABNT NBR NM 60884-1 de especificação de plugues e tomadas.

Sds,

Magno de Almeida Ruivo

Siemens Ltda.

Bem, com isso, termina o mistério. Notem que a ideia é oposta à do NEMA 5P, onde a fase era na esquerda quando o terra estava para cima. Veja um comparativo na figura a seguir:

Comparação entre o padrão antigo e o novo.

Comparação entre o padrão antigo e o novo.

Por fim, agradeço imensamente ao Magno e deixo alguns links complementares.

Fique a vontade para compartilhar a informação, mas é necessário destacar que a imagem é meramente ilustrativa e que os dados oficiais devem ser verificados na norma ABNT NBR 14136 de padronização de plugues e tomadas e na norma ABNT NBR NM 60884-1 de especificação de plugues e tomadas

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

197 Comments

Monnet
dez 14, 2009 at 9:08 am

Ola Eriberto....Bem se tem alguma coisa que eu não suporto é uma gambiarra ou melhor um adaptador para eu conseguir ligar meu computador nessas tomadas novas... Eu tambem me mudei e nesse endereço novo, todas as tomadas estão no novo padrao....
procurei muito na internet e não encontrei...Será que vc conhece algum local que ja venda esse cabo de força do computador no novo padrao de tomada?


 
Eriberto
dez 14, 2009 at 12:45 pm

Ao Monnet.

Pois é. Andei procurando e não encontrei... E está muito difícil encontrar a tomada (parede) do padrão antigo também. Uma solução: compre um plug preto no novo padrão e coloque no antigo cabo de computador. Não é difícil fazer isso. Comprei plugues da Lorenzetti. Gostei deles. Muito bem feitos.


 
billinrio
dez 16, 2009 at 10:20 am

Excelente! Muito obrigado. Não achava esta informação em lugar nenhum.
Acabamos de vir da França para Brasil, trazendo na mudança eletrodomésticos de 220v com plugs do padrão da França e Bélgica (e de 220v). Reformamos a rede elétrica do apartamento aquí, que não tinha nenhuma tomada aterrada, nem de 220v. Não dispostos a amputar os cabos dos eletrodomesticos maiores, e querendo sempre manter a polarização correta, trouxemos e instalamos tomadas compatíveis com eles (o site http://www.powercords.co.uk/standard.htm apresenta ilustrações de toda a gama de tomadas que se usa no mundo). Nas outras tomadas da casa usamos o novo padrão brasileiro. Agora com esta informação do Magno, vou poder verificar se, na instalação, o eletricista seguiu a polarização correta.
Parabéns pelo blog super-útil.


 
Eriberto
dez 22, 2009 at 12:14 pm

Olá bilinrio,

Exatamente no dia em que você escreveu o seu comentário, eu estava aterrando as tomadas do meu ap. Hoje, TODAS as tomadas estão aterradas. São cinco circuitos. Três já foram entregues aterrados pela construtora (o da cozinha, o dos chuveiros e o das tomadas dos banheiros). Eu fiz um circuito para a suíte e outro para o quarto de hóspedes e sala. Ficou show! Tudo medido e funcionando. Ralei mas valeu a pena. A guia de nylon e a vaselina bruta em pasta trabalharam como nunca. Tenho um ap 100% aterrado!

Grande abraço e obrigado pelas palavras gentis.


 
Jorge Lemos
fev 6, 2010 at 9:11 pm

Valeu, necessitava ligar o ar condicionado de minha filha e não encontrava a informação.


 
Eriberto
fev 6, 2010 at 9:13 pm

Disponha!


 
Renato Lima
fev 16, 2010 at 8:49 pm

Eriberto,

Vaselina não deve ser usada como lubrificante para a enfiação de cabos e fios elétricos, pois sendo um derivado de petróleo pode deteriorar o isolamento de pvc (por isso, nem para outro tipo de enfiação pode ser usado, pois prejudica latex também....).

Os lubrificantes adequados em instalação elétrica podem ser sabão (em barra ou pasta) ou talco mineral.


 
Teo Rodrigues
fev 19, 2010 at 11:20 am

Parabens pela matéria importante e atual. A titulo de contribuição segue uma figura que espelha bem as diferenças de polarização entre o padrão antigo e o novo:

http://i50.tinypic.com/jjmibo.jpg

Ressalto que a ABNT sempre apresentou a tomada femea com a fase no lado direito e
o terra no lado inferior.


 
Eriberto
fev 19, 2010 at 10:23 pm

Bem, os fios atuais têm tratamento para isso. Sabão, na maioria dos casos, ressecaria o isolante...

Talco neutro é uma boa saída.

Valeu!


 
Eriberto
fev 19, 2010 at 10:23 pm

Legal Teo!


 
João
mar 9, 2010 at 10:05 am

Olá Eberto, estou verificando na ne~t se existe algum outro país que utuliza esse padrão e não encontrei nada. Você teria alguma informação a respeito?


 
Eriberto
mar 9, 2010 at 10:18 am

Olá,

Infelizmente, não sei dizer . :-(


 
Marcelo Lopes
mar 13, 2010 at 7:28 pm

Olá, muito útil o post! Agradeço pela ajuda que ele me deu. E respondendo à pergunta do João, não tem nenhum outro país com esse padrão. Mas me parece que na Europa se prevê a adoção deste mesmo padrão, já que eles conseguiram unificar a moeda, mas até hoje não têm um padrão único de tomadas. Abraço!


 
Eriberto
mar 13, 2010 at 7:57 pm

Grato Marcelo!


 
Brunno
mar 16, 2010 at 8:58 am

Amigos a titulo de informação o nosso padrão é uma copia do padrão Suíço tipo J inclusive a tensão deles tb é 220v, para consulta sobre conectores europeus http://en.wikipedia.org/wiki/AC_power_plugs_and_sockets .

Abraço.


 
Renato Lima
mar 17, 2010 at 3:41 pm

Caros,
O padrão "brasileiro" na verdade é um padrão IEC. Ou seja, ao contrário do que muitos pensam não é uma "jabuticaba", não. Dessa vez o Brasil está fazendo o dever de casa, enquanto os outros estão parados - França, Itália, UK, Espanha é que deveriam estar sendo criticados!!!

Para quem acha que deveríamos adotar o padrão "universal" - na realidade o padrão americano Nema 5-15, o cohecido plug de "computador" - um lembrete: a NBR-5410 (Instalações Elétricas de Baixa Tensão) tem como preceito fundamental a segurança, determinando que ninguém deve ser exposto a contatos acidentais com partes vivas.

Pois é, o plug Nema 5-15 deixa exposta parte viva durante a conexão (eu mesmo já tomei choque ao tatear para espetar uma tomada embaixo de mesa) Lembrem-se que não há esse papo de "é só um choquinho...": eletricidade mata!!! Logo, este plug não pode ser usado aqui, nas plagas tupiniquins...

Na realidade poucos padrões mundo afora atendem plenamente esta prescrição. Um deles é o Din (Schuko), mas o plug é maior que muitos carregadores de celular... ;-)

Ou seja, não temos muita alternativa não.....


 
Marcelo
mar 18, 2010 at 9:41 am

Eu acho uma porcaria esse padrão. Porquê o uso de pinos redondos em detrimento dos chatos? É muito mais fácil se inserir objetos estranhos numa tomada de pinos redondos que numa de pinos chatos. Além disso, as tomadas de 10 e 20 amperes terão o desenho bem próximo. Fico imaginando quantas coisas não serão usadas para "calçar" os pinos de plugues de 10A em tomadas de 20A...


 
Renato Lima
mar 18, 2010 at 12:03 pm

Por partes, como diria Jack..... ;-)

SOBRE PINOS REDONDOS
--------------------------------
1 - o padrão de plug adotado prevê modelos em que o contato é somente na extremidade do pino, com o corpo em material isolante - visando aumentar a segurança contra contatos. não dá para fazer isso com pinos chatos.

2 - eu consigo lembrar de muito mais objetos com lâmina (tesoura, faca de mesa, chave yale, ...) que cilíndricos de 4mm acessíveis a uma criança em uma casa. Ou seja, acho que é mais provável um acidente com pinos chatos....

SOBRE PINOS E TOMADAS DE 10 E 20A
----------------------------------------------
As tomadas de 20A são projetadas para dar conexão firme tanto a plugs de 20A quanto de 10A.
Ou seja, sem a necessidade de calços ou outras gambiarras, pode parar de imaginar... :-)

Já no caso inverso, a tomada de 10A não permite a conexão dos plugs de 20A (por questão de segurança).

(Pessoalmente, concordo que seria melhor somente um modelo, para 16A ou 20A, mas nem tudo é perfeito....)

Espero ter ajudado a esclarecer.


 
Eriberto
mar 18, 2010 at 12:23 pm

Este tópico, realmente, está virando um show de explicações úteis. Parabéns a todos!


 
Marcelo
mar 18, 2010 at 2:50 pm

"Bem, com isso, termina o mistério. Notem que a ideia é oposta à do NEMA 5P, onde a fase era na esquerda quando o terra estava para cima."
Ah, ótimo. Quer dizer que quando eu usar um adaptador o aparelho vai ser alimentado por um pino e quando eu ligar diretamente numa tomada do novo padrão ele vai ser alimentado por outro?!
Ótimo, to gostando cada vez mais dessa gambiarra.


 
Marcelo
mar 18, 2010 at 3:02 pm

Renato, valeu a esplicação mas...
Se o argumento da Siemens (vide slides no próprio site do INMETRO) é justamente que diferenças de espessuras de lâminas impedem que as tomadas consigam fornecer a mesma pressão nos plugues de tomadas de padrões diferentes (não entendi bem o que quizeram dizer com isso mas desconfio), como podem garantir que as tomadas de 20A vão dar efetivo contato nos plugues de 10A?
Outra coisa, os pinos plásticos com contatos apenas na extremidade são muito bonitos, mas na prática... O que mais vejo é a parte plástica se desgastar com o atrito com o espelho da tomada e acabar se prendendo sob o mesmo impedindo a desconexão do plugue.
Outra coisa, não me referia apenas à crianças, mas também aos gambiarrentos de plantão. Estou cansado de ver operário com furadeira sem tomada. "-Basta desencapar e arrepiar um pouco a ponta do fio!" (Imaginem a cena e minha cara ouvindo isso...)
Abraços!


 
Eriberto
mar 18, 2010 at 5:08 pm

Marcelo, a resposta é não. Os adaptadores estão fazendo certinho. Tenho um SMS e um Perlex aqui e estão com a polarização certa. Então, isso não é problema.

[]s

Eriberto


 
Renato Lima
mar 18, 2010 at 10:23 pm

Eriberto, gostaria de entender o porquê dessa fixação das pessoas com a polarização da tomada.

Analisando pelas normas atuais, temos as seguintes possibilidades:
1 - Se o aparelho veio com plug de dois pinos, deve possuir carcaça plástica isolada (tecnicamente - dupla isolação, encontrada em furadeiras, rádio-relógios, etc...). Nesse caso, tanto faz quem é fase quem é neutro!

2 - Se o aparelho veio com plug de três pinos, as partes metálicas acessíveis devem estar ligadas ao condutor de proteção elétrica (conhecido como fio terra....). Esta ligação deve ser feita pelo pino central do plug. Neste caso, também, tanto faz quem é fase quem é neutro.

3 - Se o aparelho tem plug de dois pinos e dependendo da posição do plug dá choque (muito comum em amplifcadores de guitarra valvulados), deve ser encaminhado para um técnico competente, para que seja consertado ou receba as adequações para funcionar conforme as normas atuais (se não for assim, um amplificador desses não pode ser usado com segurança em São José dos Campos, por exemplo, onde a tomada tem duas fases!)

Ou seja, a velha e perigosa prática de ligar a carcaça de aparelhos no neutro da rede (com base na velha e absurda crença de que neutro e terra tanto faz, tão ligados mesmo... ) já deveria ter sido banida - já provocou muitos acidentes!!!!

Portanto, podemos até seguir a polarização, mas temos de ter em mente que isso não é garantia de segurança. A segurança e bom desempenho de aparelhos devem ser garantidos aplicando-se técnicas adequadas e seguras.
(A própria norma, ao tornar a marcação opcional sinalizou que a polarização não é crítica...)


 
Eriberto
mar 18, 2010 at 10:48 pm

Renato, não sou engenheiro eletricista mas posso dar uma resposta. Com certeza existem outras até melhores. Mas a forma como a energia circula em determinados aparelhos faz diferença sim.

Tem uma experiência muito fácil que vc pode fazer. Ligue um transformador em uma tomada. Com uma chave teste, procure a fase no outro lado do transformador. Depois, inverta os fios na tomada e teste novamente. Em uma das duas situações, a chave teste acenderá nos dois fios. É porque o que interessa é a diferença de potencial. Mas isso mostra como pode influenciar a forma como a energia circula.

Engenheiros, expliquem por favor!


 
Renato Lima
mar 19, 2010 at 3:23 am

Eriberto, você usou um transformador ou um autotransformador?

Veja a imagem neste link: http://img179.imageshack.us/img179/206/trafoeautotrafo.jpg

Analisando a partir deste desenho: num autotrafo, se a fase estiver ligada na parte inferior, os terminais de saída ficarão vivos (ou seja, o teste de neon acenderá nos dois terminais). Se a fase for ligada em cima, somente o terminal superior da saída ficará vivo.

Já no lado esquerdo do esquema: num transformador, pode até ocorrer da lâmpada teste acender. Porém, devido ao isolamento galvânico entre entrada e saída, ocorre apenas um acoplamento capacitivo, sem risco de correntes que possam provocar choque elétrico.

Usando “juridiquês”: salvo melhor juízo, é essa a explicação.

Reiterando meu ponto de vista, num aparelho bem projetado, bem montado e bem mantido, tanto faz a polaridade da tomada e do plug – exceto o pino de terra, é claro…

Por fim, UM ALERTA!!! Há sério risco de choque elétrico num autotransformador, pois não há isolação entre entrada e saída. Terminais de autotransformador devem ser tratados como terminais de rede elétrica!!!!

Note que, em geral, os “transformadores” 220-110V são, na realidade, autotransformadores e não são o que se possa chamar de equipamento seguro…. pelo menos os que eu conheço, que não tem conexão para aterramento (ou seja, ao tocar nas partes metálicas de um autotrafo é melhor que esteja desligado...).

Espero ter sido útil.

Renato Fernandes Lima – Engenheiro Eletricista


 
Eriberto
mar 19, 2010 at 9:18 am

Ótimo Renato! Entendi bem. Quanto à figura, se vc desejar, podemos inserir um link para um JPG ou coisa assim. Eu tenho poder para editar o seu comentário e inserir um link para onde vc desejar. Se quiser, coloco a figura no meu site mesmo.

[]s

Eriberto


 
Renato Lima
mar 21, 2010 at 10:57 pm

Marcelo, sobre operários despreparados:

NÃO DEIXE UMA ANTA DESSAS FAZER BESTEIRAS EM SUA CASA!!!! Lembre-se que você é responsável civil e criminalmente pelo que acontece com as pessoas em sua casa.

Eu também fico apavorado e p... com as gambiarras e seus autores (que infelizmente são comuns , nas empresas vejo cada coisa....).

Só que deve-se entender que a NBR-5410 tenta impedir contatos acidentais - ou seja, em usuários desavisados, durante o uso normal.

Norma nenhuma pode impedir que um "cabeça-de-bagre", com Q.I. de ameba, faça gambiarras que possam provocar acidentes. Até o padrão Nema é vulnerável. (Já reparou nos furinhos na ponta dos terminais chatos? São ótimos para ligar uma ponta de fio ali....)

Cabe a todos nós fazermos as coisas do jeito certo. Os sistemas de sua empresa devem ser desenvolvidos por seu sobrinho que fez uns cursinhos ou por um profissional qualificado?

Do mesmo modo, um serviço em eletricidade deve ser conduzido por um engenheiro (ou técnico, em casos de menor complexidade).

Cordiais saudações....

Renato F. Lima


 
hugo henrique
mar 25, 2010 at 11:05 pm

como posso fazer a ligação do novo padrão de tomadas sendo que agora todas as tomadas terão 3 entradas e no padrão antigo apenas 2 fios sera fito normalmente ligando apenas 2 polos ou tera que acrescentar mais 1

grato


 
Renato Lima
mar 27, 2010 at 6:17 am

Hugo, há duas jeitos:

O jeito certo:
Providenciando um condutor de proteção elétrica (o tal fio-terra...) para conectar ao terceiro pino - evidentemente este condutor deverá estar conectado a um aterramento de boa qualidade. Para tanto, procure um profissional legalmente habilitado, para conduzir o serviço de modo correto (pode até ter um custo meio alto, mas vai ajudar a evitar futuras dores de cabeça, acidentes e prejuízos...).

O "jeitinho":
Improvise um aterramento ou até mesmo ignore o terceiro pino. Em seguida reze, reze muito - talvez assim ocorra o milagre da ausência de acidentes...

Falando sério, neste tipo de coisa não dá para chamar seu vizinho que fez uns cursinhos de dois fins de semana! Lembre-se de que um aterramento defeituoso ou inexistente pode matar por choque elétrico!

Saudações


 
Francisco
abr 17, 2010 at 12:19 am

Caros Eriberto e Renato.

Esse post me ajudou e ao mesmo tempo criou uma dúvida enorme!
Comprei um adaptador da Pial, padrão brasileiro-NEMA 5P para o meu computador.

Vejam a imagem: http://www.legrand.com.br/br/br/liblocal/images/ps_e_plugues2_11.jpg

Fiz um teste com multímetro e a polarização é a mesma do padrão NEMA 5P. Como a Pial é vista como uma empresa séria, considerei isso como verdade. Será que para facilitar a fabricação a Pial inverteu a polarização do adaptador?! Pois dessa forma o caminho fica direto.

Francisco Freire - Técnico em Eletrônica


 
Eriberto
abr 17, 2010 at 7:22 pm

Francisco,

Descuido, desconhecimento, modo mais fácil de fazer... Difícil saber. :-(

[]s


 
Francisco
abr 18, 2010 at 12:30 pm

Opa!

Continuei pesquisando e consegui um PDF da norma ABNT NBR 14136.

Quem quiser é só baixar: http://www.4shared.com/file/170372023/fcd9e847/NBR_14136_-_2002_-_Plugues_e_T.html?s=1

Seu post está correto, a Pial que deu mole ou agiu de má fé mesmo. Vai saber... Mas vou escrever para eles. Acho que valeu para tirar a dúvida e alertar a galera para esses adaptadores.

Abraço a todos


 
José Carneiro
abr 22, 2010 at 9:42 am

Também tive problema quando troquei o aparelho de ar condicionado. Não achei a informação na Net, procurei na tomada fêmea, mas não está marcada. Entretanto, no cabo que vem com o aparelho aparece a letra N. Procurei no antigo e também está marcado, mas no lado oposto. Confiando no fabricante do ar condicionado coloquei fase e "neutro" nas posições corretas. Creio que deveria ser obrigatório a indicação de fase ou neutro. O fusível é colocado no lado da fase (quando usado). Caso haja um curto no aparelho e o fusível estiver no lado errado, adeus... Em tomadas de dois pinos chatos de aparelhos americanos um deles é mais grosso para não ser colocado invertido, pela mesma razão.


 
Rogério
abr 26, 2010 at 5:44 pm

Pessoal, comprei dois modelos de adaptadores, e um adaptador de 1 para 3 tomadas padrão novo (famoso "T"), veja o que aconteceu:

1a. - FAME modelo 1491 Plugue 2P+T - 3 Saídas 10A/250V~ - Cinza - Sobrepor
Plug padrão novo, mas ele gera 3 tomadas uma com polaridade correta e as outras duas invertidas.
http://www.fame.com.br/fameWeb/ProdProdutoWebComponentSelect.do?prodProduto.uniqueId=ab2161f3ffffc80d01e36b8674dece12

2a. - DANEVA - Adaptador 2P + T. e Adaptador reverso 2P + T.
Ambos invertem a polaridade.
http://www.davena.ind.br

Os adaptadores Perlex e SMS estão certos, vou comprar esses.

Abs.


 
Mario
mai 5, 2010 at 12:29 pm

Eriberto,

Você sabe me dizer se existe cabos AC para computadores já com o padrão novo? Assim não teria que utilizar esses adaptadores.

Abraço.


 
Bruno
mai 8, 2010 at 12:55 pm

Olá estou conhecendo seu blog agora e fiquei muito satisfeito com o interesse de todos em estar melhorando nossas instalações elétricas.

Parabens.


 
Davi
mai 15, 2010 at 10:47 am

Realmente estava díficl pra achar a polarização da tomada nova.

Este post ajudou muito, obrigado!


 
Luiz Barbosa
mai 16, 2010 at 8:48 am

Caros colegas,

Intriga-me e não convence a alegação de SEGURANÇA da nova norma.
Há mais de 10 anos é obrigatória a instalação de disjuntores DR (diferencial residual) adicionais nas novas instalações; há muitos anos existem os plugues Nema com pinos plastificados e com pontas metalizadas (até para altas correntes); há muito tempo as tomadas são construídas com contatos recuados/profundos; há tomadas NEMA com bordas elevadas para evitar possíveis acidentes; os plugues Nema possuem pino terra alongado para contato antecipado; há plugues com capa retrátil nos pinos; há tomadas modulares com cortinas protetoras... tudo para sua segurança, tudo já disponível.
Problemas práticos dos novos plugues e tomadas:
- possível inversão da polaridade: quando o plugue não possuir pino terra (falta um restritor ou corte/dente que impeça a conexão indevida);
- como diferenciar uma tomada 127Vac de outra 220Vac, de forma inequívoca (à prova de estúpido) - o que era fácil com as 2 tomadas anteriores;
- por ser mais longa/profunda, a nova tomada causa transtornos quanto aos fios de passagem e os "wire buffers" - em 2 ocasiões observei que as novas tomadas "feriram", cortaram o isolamento de fios de passagem dentro da caixa.
- uso intenso de adaptadores e "benjamims", muitos dos quais desqualificados.

Não percebo ganhos de segurança, aliás terei prejuízo na segurança global das minhas instalações caso proceda à troca sistemática das tomadas e plugues.
Pior, cada troca de um plugue danificado demanda a troca de mais tomada (s) e espelho (s)... pra além da segurança, estão de fato preocupados com as vendas (criaram um "paradigma" que altera para melhor a curva de demanda de material elétrico).
Não consegui localizar métricas, estatísticas, relatórios oficiais que apontem ocorrências de
acidentes elétricos que justifiquem positivamente tal mudança, especialmente quando já se tem outros dispositivos para este fim (conforme dito acima). Somente consigo vislumbrar os ganhos gerados para a indústria como justificativa primordial para tal iniciativa.
Se a preocupação é segurança, o Inmetro e a indústria deveriam voltar sua atenção aos CHUVEIROS, este sim com desabonador histórico.
Espero ter despertado vossa reflexão.

Abs, Luiz


 
Huydson
mai 22, 2010 at 10:15 pm

Acontece que na tomada antiga o terra era para baixo e não para cima, como supostamente ficou sendo na tomada nova. Portanto, em qualquer caso a ordem é a mesma.


 
Eduardo Tafner
mai 25, 2010 at 11:17 pm

Eriberto, te devo uma cerveja, caso goste. Era exatamente o que eu procurava! hehe

Abraço!


 
Claudio
mai 30, 2010 at 7:16 pm

Muito util seu blog. Valeu as informações conseguidas.
Tambem acho que pequenas modificações tipo recuos ou ressaltos nas tomadas padrão NEMA resolveriam a questão de segurança a um custo infinitamente menor e mantendo compatibilidade com a quase totalidade dos plugs existentes no mercado.
Realmente parece que a motivação maior dessa norma foi elevar os rendimentos economicos dos fabricantes, e , quem sabe, de alguem mais.


 
José Scheffer Gonçalves
jun 14, 2010 at 10:43 am

Acho que sua pesquisa foi de grande utilidade sendo colocada na internet, mas acho que muitos fabricantes de plugs não fizeram à mesma pesquisa, pois encontrei em um supermercado um adaptador com polaridade inversa.
Acho que a ABNT não entende nada de normas e nem de eletricidade, pois deveria obrigar os fabricantes à por sinais que indique a polaridade.
Sabemos que os computadores exigem que sejam corretamente polarizados quando em rede por que ele fica ligado entre si por um cabo de internet (Um cabo crossover).
Estou escrevendo em teu blog para pedir um favorzinho que vai acertar nossa tomadinha. Mande mais um e-mail ao Sr. Magno de Almeida Ruivo e pessa a ele para entrar em contato co IMETRO e acabar com esta duvida “ A POLARIDADE DAS TOMADAS E ADAPTADORES” exigindo que seja colocado sinais de fase neutro e terra.
Sem mais obrigado pela atenão..


 
Carlos Roque
jun 20, 2010 at 11:37 am

Eriberto,

Pesquisei no Google sobre "nova tomada nbr polarização" . É o seu blog é o primeiro que aparece para esclarecer sobre a polarização da nova tomada NBR.
Obrigado e até mais.

Roque


 
Valdir J. Peres
jul 5, 2010 at 8:47 pm

Agradeço, pelas informações, mas realmente nos deixam confusos, e nunca me preocupei nas polarizações, claro quano ao terra (pino central) os outros dois pinos, sempre instalei-os nas extremidades da tomada, agora vou me ater a esse detalhe.Alias, salientando, este tipo de serviço por incrivel que se pareça, só tive tres solicitações, os demais clientes preferem os adaptadores mesmo, apesar da dificuldade em encontra-los.
Mas valeu, muito obrigado


 
Flávio Betti
jul 7, 2010 at 2:20 pm

É desolador que até mesmo marcas renomadas ("Pial Legrand") comercializem adaptadores que invertem as conexões. Alegra-me constatar a existência de outros "mortais" preocupados com os risco de inversão. Tenho bons motivos para isso, mas são praticamente impublicáveis. Afinal, quantos (pelo menos abaixo dos 50) já ouviram falar em rádios "rabo quente" (ou, como eu, ainda os possui)?

Aproveito para felicitar não apenas o Eriberto, como também o Luiz Barbosa por seus felizes comentários, e ainda para criticar o Renato Lima, que perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado ao taxar de irrelevante a questão da polarização das tomadas. Se fosse tão simples assim, os filtros de linha importados dos EUA não teriam capacidade de diagnóstico e sinalização de tomada mal polarizada; a própria NBR 14136 não teria perdido tempo em especificar a posição do neutro, e o pino terra estaria na mesma altura dos outros dois, propiciando duas posições possíveis de inserção (a 0º e a 180º).


 
Eriberto
jul 7, 2010 at 3:09 pm

Valeu Flávio.

Sabe porque me preocupo? Porque quanto tinha uns 20 anos de idade (sou de 1971), perdi HD MicroScience de 50 MB (3 1/2", novidade na época) por falta de aterramento. Em seguida perdi outro. Quando passei a fazer aterramento (depois de ler os livros do Laércio Vascocelos, ainda naquela época), nunca mais isso aconteceu.

Um grande abraço!


 
Josué Cavichioli
jul 14, 2010 at 5:26 pm

Parabens! informações esclarecedoras. Muito obrigado.


 
wanderley
jul 31, 2010 at 6:12 pm

muito obrigado cara...estou fazendo a parte eletrica de minha casa, e como vc mesmo citou, já estava desistindo de procurar na net, até encontrar seu blog....
obrigado.


 
Eriberto
jul 31, 2010 at 10:49 pm

Ok Wanderley! Grande abraço!


 
Rubens
ago 7, 2010 at 4:07 pm

Eriberto,
Considerando o que foi debatido acima, descobri que o adaptador da marca DANEVA que tenho aqui em casa está fornecendo a saída com a polaridade invertida! A tomada padrão NEMA 5P no qual esse adaptador foi inserido estava há muito tempo instalada corretamente, e foi testada quanto a isto. Então, meu televisor novo, que tem um plugue de três pinos no novo padrão, está sendo alimentado de maneira errada!
Tenho também um adaptador semelhante da marca EXATRONIC e outro da marca ALUMBRA, os quais estão corretos.
Isto faz pensar: Se uma empresa grande como a Daneva comete esse engano quanto ao novo padrão brasileiro, será que as empresas que fabricam aparelhos que exijam uma correta instalação (fase com fase, neutro com neutro, terra com terra) interpretam devidamente essa norma da ABNT?


 
Eriberto
ago 7, 2010 at 7:40 pm

Rubens, essa tá forte demais pra mim... É o fim do mundo... :-D


 
César
ago 18, 2010 at 6:38 pm

Prezado Eriberto
Já estamos em agosto e ninguem sabe qual é a posição correta das novas tomadas e menos ainda das conexões! Seu Blog é a única referência na Internet. Parabéns e muito obrigado.


 
Eriberto
ago 18, 2010 at 8:30 pm

Grato César.


 
Guilherme Alves
ago 23, 2010 at 10:25 am

Bom dia!
Parabens pelas informaçoes contidas aqui.
E de utilidade publica.
Obrigado.


 
Brivaldo Fernandes Borba
ago 26, 2010 at 4:44 pm

Olá Eriberto, boa tarde.
gostei da informação até mesmo pq é uma informação necessária e mui precisa. e, em seguida, de grande importrância no Dia-a-Dia dos profissionais que trabalham nesta área!


 
Valvinor P Brunllo
ago 26, 2010 at 8:06 pm

Olá Eriberto, boa noite,
Com relação as novas tomadas e pinagens, teno notado no Sito da Fame, que as especificações
das tomadas parece-me que com pinagem de aterramento na parte inferior o fase fica na direi-
ta, será que está invertida??. estou alterando algumas tomadas e parece que as polaridades não
estão coincidindo.
Abraço, Bunello


 
Eriberto
ago 26, 2010 at 11:00 pm

Brunello, qual é a URL?

Grato,

Eriberto


 
Valvinor P Brunllo
ago 26, 2010 at 11:18 pm

Eriberto,
desculpe nao ter postado a URL antes.
http://www.fame.com.br/fameWeb/ProdProdutoWebComponentSelect.do?prodProduto.uniqueId=70bad1097f00000100f574342f5ddf0c
Grato,
Brunello


 
Eriberto
ago 31, 2010 at 9:57 am

Brunello, a URL é inválida.

[]s


 
Bianca
set 5, 2010 at 9:46 pm

Boa noite Eriberto.

Comprei um apartamento em julho e as tomadas são todas antigas. A minha duvida é ,elas não deveriam ser todos no padrão novo???

Desde já agradeço.....


 
Eriberto
set 5, 2010 at 9:57 pm

Entendo que não. O comércio não pode mais vender as antigas. Agora, se a construtora tinha em estoque...


 
Bianca
set 5, 2010 at 10:03 pm

Mas se é lei que todos os eletrodomesticos tenque ser de padrão novo, como as tomadas de um apartamento construido novo vai vim com padrão velho???????
Então vou terque gastar pra trocar todas as tomadas???


 
Bianca
set 5, 2010 at 10:09 pm

A lei diz......
Art. 1o As edificações cuja construção se inicie a partir da vigência desta Lei deverão obrigatoriamente possuir sistema de aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização do condutor-terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro contato correspondente.

Eu só queria me esclarecer antes de procurar os meus direitos

obrigado


 
Henrique
set 16, 2010 at 10:12 am

Muito instrutivo, só hoje estou tendo que trabalhar com o novo modelo e realmente a quantidade de informações sobre a disposição fase-retorno-terra era uma preocupação.
Parabéns pelo blog.


 
Altair Alves Costa
set 17, 2010 at 10:43 pm

Eriberto,

vi esse assunto e me interessei. Como posso enviar um pdf (700kB)? Nas páginas 265 e 267 ele apresenta detalhes do novo padrão de tomadas que pode auxiliar a quem ainda tiver dúvidas.

Altair


 
Eriberto
set 18, 2010 at 7:33 am

Opa Altair!

Veja, se o pdf for livre para publicação (sem direitos autorais), eu posso disponibilizar para download no meu site.

[]s!


 
Aguinaldo Alberto
set 18, 2010 at 8:39 am

Parabéns Eriberto pelo post. Realmente estava difícil achar essa informação inclusive estive numa reunião na Abinee em Agosto sobre energia eólica e lá mesmo ninguém soube me dar uma informação segura. Os folhetos que ví lá sobre esse novo padrão não tem essa informação. Estou instalando um nobreak em casa e troquei a tomada para o novo padrão. Obrigado e um abraço.


 
Eriberto
set 18, 2010 at 8:49 am

Grato Aguinaldo! Grande abraço!


 
sidiomar vieira
set 22, 2010 at 10:35 am

Caros, diante de tantas duvidas recorri a um frabricante STRAHL, que possui varias linhas de plugues, tomadas e adaptadores.

http://www.Strahl.com.


 
Altair
set 23, 2010 at 11:40 am

Pessoal,

segue um link onde pode ser encontrada a polarização da nova tomada. No arquivo zip, o Cap. 11, nas páginas 265 e 267, existe a marcação para os plugues e tomadas.

http://www.procobre.org/pr/pdf/pdf_pr/NBR.zip

Abraços


 
reginaido
set 24, 2010 at 3:37 pm

para mim faser um aterramento para casa toda e eu poso colocar carvao aditivado e sau grosso junto obrigado me responda


 
Alberto
nov 7, 2010 at 12:58 pm

Na minha opinião o novo padrão brasileiro não passou de uma grande manobra lobista, um absurdo e desnecessário. Ilógico e fora de propósito, dispendioso, antieconômico e tudo mais de ruim.


 
Eriberto
nov 8, 2010 at 8:21 am

Bem Alberto, eu discordo. Precisávamos padronizar os milhões de modelos existentes e inserir o fio terra, que é muito importante. Com isso, o modelo mais comum e tradicional (de 2 furos) não atendia. Toda mudança causa traumas e questionamentos. É como migração de software: muitos sempre vão reclamar. Mas devemos migrar ou ficar com algo que não mais nos atende só por conforto e economia???

[]s


 
Rogério
nov 20, 2010 at 3:09 pm

Eriberto

Comprei 1 computador da DELL e pra minha surpresa recebemos 2 adaptadores do padrão antigo para o novo, dados da etiqueta do adaptador:
-------
DANEVA MATERIAIS ELETRICOS
Adaptador "Reverso 2P+T 15A 250V
Certificado pela TUVRHEIN_AND (Organismo Certificação Produtos-OCP) acreditado pelo INMETRO
REF: 1633
CNPJ: 47.090.782/0001-60
http://www.daneva.com.br sac@daneva.com.br SAC-0800.191866
-------

Agora até a DELL distribuindo os adaptadores errados!!!
Onde vamos parar???

Rogério


 
Gilson
nov 25, 2010 at 12:31 am

Acho que as posições dos pinos deveriam ter sido mantidas (ou seja fase do lado direito, considerando terra para baixo) pois a maioria dos adaptadores tem uma relação direta ou seja do jeito que está os referidos adaptadores não atenderam os equipamentos com plugs antigos. Uma vez que o neutro ficará no lado direito quando esses referidos equipamentos foram fabricados para funcionar com a fase no lado direito. Sem falar que a dificuldade de se fabricar um adaptador para entrar fase de um lado e sair do outro (ou seja entrar na esquerda e sair na direita para atender os equipamentos antigos, é bem mais complexo, pois, teria que cruzar dentro do adaptador, passando próximo do terra, correndo o risco de romper o dielétrico e causar curto-circuito) por tudo isso considero que não deveria ter sido trocado a posição fase/neutro.


 
Eriberto
nov 29, 2010 at 8:34 pm

Gilson,

Acho que você está falando da dificuldade de usar adaptadores. Creio que o objetivo tenha sido esse. Uma forma velada de proibir gambiarras. Acho que é isso.

[]s


 
Rogério
dez 4, 2010 at 8:07 am

Gilson,

O que a SMS, Perlex e alguns outros estão fazendo é passar o terra de baixo para cima, assim não tem risco algum na estrutura interna do adaptador.
O problema é que outros fabricantes não fazem isso e falam que na NBR não tem nada a respeito e o INMETRO não cobra isso também.
Falta uma autoridade tomar conta disso e baixar a regra, e pra fazer isso não é complicado falta alguém com vontade mesmo.


 
Willian
dez 17, 2010 at 5:20 pm

Não entendi muito bem, pelo que entendi no email de resposta do Sr. Magno, não deveria fazer diferença alguma a polarização, uma vez que agora temos o fio neutro. Mas a conclusão foi a inversão da polarização em relação ao padrão americano?
Procurei em documentos oficiais, não achei nada relativo a polarização, somente em blogs ou fóruns de discussão :/

O que me preocupa é o fato de meu gabinete estar aterrado (me forma errada, claro) no neutro, e não no terra. Então se eu inverter a tomada, a carcaça fica energizada.
Já tentei arrumar tal problema, troquei até a Fonte, mas nada... A solução de contorno é usar a polarização da tomada.

Retomando, alguém aí tem algum documento oficial em que se trata essa questão?

Obrigado,
Willian


 
Heber
dez 22, 2010 at 4:42 pm

Parabéns pela iniciativa.

Bem úteis as informações que obteve e as transcreveu para melhor divulgação dada a escassez que de fato ainda temos na internet.

Obrigado,

Heber


 
Narciso
dez 24, 2010 at 2:45 am

Muito úteis e pertinentes as informações! Bom trabalho!
Só não entendi pq o site/blog é em inglês...

Narciso


 
_JF
jan 11, 2011 at 8:25 am

Já li que há regiões onde não há neutro, mas sim 2 fases, tanto é que o sr. Magno de Almeida Ruivo diz que como há 2 padrões de tensão no Brasil nem sempre o neutro será ligado ao terminal que seria marcado como neutro, eu pergunto a quem tenha estudado isso e possa responder com segurança: Na prática faz diferença se o fase e o neutro estão invertidos para a ligação de computadores e fontes de notebooks (sabendo que eu tenho aterramento)? Se faz, poderiam explicar de forma prática, não apenas apontando o que diz uma norma? Obrigado. PS: E nos locais onde há 2 fases, o que acontece?


 
Luiz Campos
jan 16, 2011 at 4:45 am

Tenho um Nobreak SMS, e quando ligo a plug do aparelho do novo padrao a tomada da parede do novo padrao, a luz do led da rede fica piscando. Uso ele em 110V, embora possa ser chaveado para 220V. O que pode estar errado? Sera que o Nobreak esta com defeito. Isto e comum acontecer quando ha folga na tomada. Ja tive deste problema no passado, mas dai invertia a tomada e parava de piscar. Mas neste padrao novo nao da para fazer isto. E como tenho muito aparelho importado vou viver dependente de adaptadores.


 
Abdenego Santos
jan 26, 2011 at 1:09 pm

Realmente é extranho haver polarização em corrente alternada (AC). Que eu saiba polarização é para alimentação por corrente contínua (DC). Já pensou você ligar um ventilador na sua casa e ele ao invés de soprar, exaustar (rodar o contrário), só porque você inverteu a tomada na hora de ligar o pino? Outra coisa é que circuitos elétricos DC tem um sentido, já circuitos elétricos AC não tem sentido da corrente. Teoricamente tanto faz estar na direita ou na esquerda. O problema pode ocorrer apenas se alguém aterra o neutro, ai precisa saber quem realmente é o neutro. A verdade é que a norma antiga 2P+T convencionou a fase a direita do terra quando este está em baixo, já a nova norma não especifica convenção do fase-neutro, apenas do terra que precisa ser sempre no centro.


 
Marcus
jan 29, 2011 at 3:52 pm

Parabéns Eriberto, seu blog foi de muita valia.


 
Clayton
mar 23, 2011 at 9:50 am

Pessoal ajudem-me por favor.

Acabei de comprar uma tv nova. Navegando pelo forum da tv fui informado que ela virá com o novo padrão de plug três pinos, o problema é que não tenho nenhuma tomada desse tipo em casa (alugada), nem sei se alguma tomada é aterrada, e trocar as tomadas ou aterrá-las está fora de cogitação (por disposições contratuais)

Quais testes faço para ter certeza que estou ligando minha tv na polarização correta, e saber qual adaptador (extenção), estarão no padrão correto?

Desde já agradeço...


 
Gustavo
mar 30, 2011 at 1:30 am

Boa noite à Todos,

Estou comprando algumas máquinas de produção de sorvete (como as do McDonalds) em um fornecedor asiático e o mesmo informa que todos os atuais clientes do Brasil compram com Plug europeu porém não entendi o motivo visto que nunca vi nenhum maquinário de uso doméstico com as mesmas características (nunca tive contato com maquinário profissional/semi-profissional).

Gostaria de saber se devo solicitar que façam adaptação para o modelo de Plug atual utilizado no Brasil (ou mesmo americano "chato" padrão) ou se deixo com o atual Europeu e utilizo um adaptador (não vejo lógica para tal).

Vale lembrar que será utilizado um estabilizador de voltagem em cada máquina pois segundo o mesmo fornecedor, o Brasil possui uma alteração constante de Voltagem e isso interfere no bom funcionamento das máquinas. Além disso talvez utilizemos estabilizador com Input 110V e Output 220V.

Abaixo algumas infos sobre o maquinário que podem ser necessários para auxílio na indicação de Plug:

Eletric Power: 220v, 60Hz
Installed Power: 2500W
Compressor Power: 1060W
Beater Motor: 1100W
Fan: 130W

Desde já agradeço ao site e à todos os colaboradores.

Abraços


 
Og Miranda
mar 31, 2011 at 11:17 am

Eriberto!
Muito obrigado pelas informações, bastante úteis, prestadas por você e a de alguns participantes.


 
Paulo
abr 6, 2011 at 11:38 pm

Isso foi só para vender tomada!

Quem queria tomada aterrada fazia a sua! Como eu e muita gente interessada em segurança fizemos!

Burro que deixa o dedo nos contatos tem mais é que levar 220V no lombo isso é seleção natural menos um asno no mundo!

Os contatos dentro desta tomada nova estão bem menores que as antigas na antiga, tínhamos mais área de contato e assim maior condutividade elétrica menos desperdício em equipamentos de grande consumo.

Este padrão novo ocupa mais espaço na caixa da parede o que dificulta a instalação, vários lugares que tinha uma caixa pequena na parede tive que colocar uma grande (aquela que comporta duas tomadas) para poder instalar e passar melhor os fios.

Quando as tomadas vão aceitar fios de 10 mm?
Como vou ligar um aquecedor 110 v no inverno com fios 6 mm e deixar a noite toda ligado?
R: Nunca, pois vai esquentar e talvez até derreter a porcaria.
Solução fazer uma tomada 220 v para o aquecedor com dois fios de 6 mm ai pode até demorar mais um dia chega um destes asnos que deixa o dedo nos contatos e liga um aparelho 110v na tomada 220v mesmo que tenha um cartaz em cima da tomada dizendo 220v


 
Eriberto
abr 7, 2011 at 6:03 am

Vixe... Quanta revolta....


 
bona
abr 28, 2011 at 6:22 pm

Infelizmente as normas brasileiras ainda não prevêm oficialmente a possibilidade de termos tomadas diferentes para 127V e 220V em laboratórios de química ou oficinas. É recomendável que aparelhos que consumam mais de 1000W sejam ligados à uma rede de 220V (em nosso caso as estufas e pequenos fornos). Sei que é altamente marginal a existência de uma tomada de 220V (bifásico) obtida a partir de 2 fases e um neutro de uma rede 220/127V! Mas em aparelhos com resistências elétricas isoladas, com o devido aterramento da carcaça do aparelho, a coisa funciona. A antiga firma Peterco previa esta possibilidade com tomadas emborrachadas diferentes para 220 e 127V.

Mesmo tendo tomadas pintadas em vermelho, as tomadas de parede de 220V aceitam tomadas de 127V e estes aparelhos TORRAM!


 
krizalio1
abr 30, 2011 at 5:48 pm

Olá!
Minhas Duvidas foram praticamente 99% esclarecidas, creio que sempre haverá uma, porém
estou muito grato pelos dados adiquiridos ao meu sistema. De agora em diante irei fazer jus a verificaçao oficial das tomadas nos quais plugo algo que exija aterramento; já os plugs que são de dupla forma no encaixe por nao pedirem o terra, apenas a verificação básica que é apenas ver a corrente fornecida pela tomada e a que o plug exige.
Uma coisa vi que nao é nescessaria a inversao de lados num adaptador, cujo a funçao e fornecer apenas uma adaptação de entrada. Coisas citadas anteriormente eu as reforço com esta explicação: no modelo antigo cujo era Neutro(p/esquerda), Terra(p/baixo) e Fase(p/direita) o adaptador apenas terá a funçao de colocar o Terra que era p/baixo agora p/cima. Resumindo...Verifique a forma antiga e coloque a mesma posição da polarização do fase e neutro e apenas modifique a posiçao do terra e pronto! Terás o novo padrao de tomadas. Se lembra do velho terra para baixo sendo N-T-F apenas deixe assim msm e quando for fazer a instalação lembre-se apenas q o terra agora fica para cima, assim é bem mais facil de lembrar para que haja uma melhor compreençao do que foi mudado e muito mais rápida a resposta mental no qual vc so precisa lembrar da msm ordem antiga porem um adicional novo...Terra para cima!
Espero ter ajudado assim como me fiseram ajudando a entender melhor tudo isso.
Obs.: o 1% que restava de duvida é so em caso de controvérsias futuras numa nova linhagem melhorada, pode-se dizer q ajudou 100%.

Obrigado!


 
Patrick
mai 3, 2011 at 2:50 pm

Tenho visto muita gente reclamando do problema de ligar equipamentos em tomadas com polaridade invertida.

Concordo com o Abdenego Santos. Equipamentos que funcionam com corrente alternada não precisam estar na polaridade correta. Funcionarão do mesmo jeito. Não tem problema de segurança, pois o neutro também deve ser isolado.

O motivo de se padronizar onde fica o fase e o neutro em uma tomada é porque ele influencia só em um caso: o caso dos autotransformadores. Devido ao neutro ser comum aos dois enrolamentos, se você ligar o fase onde deveria ser ligado o neutro na entrada do trafo, (note-se que os trafos geralmente não informam a polaridade correta) será criada uma tensão entre o terra e o neutro. O equipamento alimentado por um trafo ligado com polaridade invertida funcionará normalmente mesmo assim. O que acontece de ruim é que se você tiver um dispositivo de proteção com varistores entre neutro e terra, esses varistores atuarão. Por isso filtros de linha (que filtram mesmo, não réguas baratas) têm alerta de inversão de polaridade (alguns). Ligando o filtro (com varistores) invertido, ele será inutilizado, pois o varistor irá queimar (o que é normal, é assim que ele protege o equipamento, se sacrificando).

Espero ter esclarecido a questão da polaridade invertida. Não precisa esquentar tanto com isso, pessoal. Eu acho que as tomadas devem ser ligadas com a polaridade correta sempre, mas o mundo não vai explodir se sua tv estiver ligada invertida ou coisa parecida. Apenas tenham cuidado com transformadores. Lembrando que, independente das condições de segurança, SEMPRE lide com equipamentos elétricos desconectados da tomada.


 
Patrick
mai 3, 2011 at 3:12 pm

Hehehe, dei uma pesquisada e achei isso:

http://www.forumpcs.com.br/comunidade/viewtopic.php?t=228583

é um post que explica o que acontece quando se inverte a polaridade de um autotransformador. Lembrando que em um transformador isolador isso não acontece.


 
Carlos
mai 10, 2011 at 4:58 pm

Agora me veio uma dúvida: segundo a informação do autor, a polaridade em uma rede monofásica segue exatamente a mesma linha do manual de uma lavadora de roupas da Brastemp, a mesma posição do fase e do neutro, ok? Porém, em um esquema de instalação da Siemens, que vem com essas caixas de sobrepor AR-LI Ref: 8GB1 835-2MB00 a ligação está invertida!! O mesmo acontece neste documento que encontrei no site da Siemens: http://www.industry.siemens.com.br/buildingtechnologies/br/pt/produtos-baixa-tensao/protecao-eletrica/Sistema-Ar-Lig/Documents/ar-lig_ca_c01_ind3.pdf A questão é...QUAL é o padrão? Mesmo que a polaridade não interfira no funcionamento, toda instalação deve ter um padrão correto?


 
Evaldo
mai 11, 2011 at 6:00 pm

Na faculdade onde trabalho. Pof reclama porque as tomadas foram instaladas tendo o fase na direita; neutro na esquerda e o terra embaixo. Aonde está errado?


 
Luciano
mai 17, 2011 at 10:30 am

Uma questão curiosa:
Numa instalação 220/127 V, a concessionária fornece o condutor neutro que é multi aterrado no sistema distribuidor.
O neutro é aterrado inclusive na caixa de medição na malha terra do consumidor.
Numa tomada de 127 V temos nos 3 polos: fase neutro e terra.
Uma vez que o neutro é aterrado na entrada, não vejo a nessecidade de instalar o fio terra porque a meu ver é a mesma coisa que o neutro, assim fazer um jumper dos polos neutro e terra na tomada não atende a necessidade da instalação?
Grato


 
Itamar Andreoni
mai 17, 2011 at 2:01 pm

Enfrentei este problema ao comprar adaptadores do padrão novo para o antigo da marca Davena e SMS(este mais caro que o primeiro). O da SMS funciona, enquanto o da Davena inverte a polaridade. No manual do equipamento que ligaria a tomada anula a garantia se houver a inversão. Cobrei a Kalunga(vendedor) e a Davena(fabricante) que tem conhecimento do problema, sendo que informaram que no futuro será resolvido com um novo modelo. Apresentaram cópia do certificado de conformidade INMETRO. Inconformado com o fato de quererem que o mico fique com o consumidor, abri uma representação na Promotoria de Justiça do Consumidor sob Representação nº 43.161.531/11 SIS - 43.161.519/11 SMA – 2º PJ
e chamado no INMETRO sob SAC de nº 392759/11. Os emails são: ouvidoria@inmetro.gov.br mohenriques@inmetro.gov.br no INMETRO e pjconscap@mp.sp.gov.br na Promotoria.
Penso que todos deveriam fazer coro para esta demanda, sendo que posso enviar cópia dos emails trocados com ambos Órgãos, que afirmam estar tomando as medidas cabíveis na proteção do consumidor. O meu problema foi resolvido, mas acho um absurdo deixarem nas prateleiras um produto que sabidamente tem um vício. Das duas, uma solução tem que ser dada: ou a garantia de equipamentos eletrônicos é dada mesmo ligando-se em tomadas com polaridade invertida, ou os responsáveis(fabricantes) que construiram adaptadores que invertem a polaridade retiram estes do mercado.A conta da mudança do padrão já é paga pelo consumidor, será que a conta deste erro será do consumidor também? Eu não concordo com a conta do meu lado e tomei as providências que julguei adequadas. Se mais pessoas pensarem desta forma e agirem cobrando tenho certeza que o problema não ficará por nossa conta. Mexam-se!!


 
Selestino
mai 20, 2011 at 1:11 am

Temos que levar em consideração sim as polarização das tomadas, pois existem em muitos aparelhos eletrônicos principalmente nas fontes de computadores e PABX etc. os varistores e supressores são componentes de proteção para o equipamento contra surtos de energia e são ligados paralelamente entre N T F se a seqüência for invertida eles não farão os trabalhos corretos alem de os equipamentos ficarem dando choque nas carcaça como e o caso dos computadores.
Há... e quando e duas fases 220v? Ou e automatizado por componentes eletrônico o juste ou tem uma chavinha que deve ser selecionada a voltagem correta da tomada onde já vai fazer as mudanças nos circuito da placa eletrônica, ai nesse caso não importa a polarização, mas quando tem o neutro teque prestar atenção. Vlw
Espero ter ajudado. Abraços


 
bona
jun 2, 2011 at 7:46 pm

Vale a pena lembrar que a função do terra é aterrar a carcaça metálica de aparelhos elétricos, evitando possiveis choques ao manipular o equipamento energizado. Pelo terra o permitido é circular, no máximo, 50mA, já pelo fio neutro o retorno de corrente é respeitável. Só não temos corrente circulando pelo neutro no caso de circuitos trifásicos perfeitamente balanceados.


 
Luis Carlos Braga
jul 2, 2011 at 9:33 am

Pessoal,

Tenho duas colocações a fazer:

Primeiro com respeito a padrinização, que gostei muito desde o começo, onde não teremos mais com que se preocupar num futuro próximo com as tomadas. Vocês já olharam com mais atenção para uma tomada qualquer para ver a quantidades de furos que tem, que tipos de plugs aceitam. Pensem mais um pouco e veram que se tratam de gambiarras oficiais, não acham? Alem do mais, o Brasil não tinha algo que normalizasse as tomadas e agora tem. Acaba com essa hitória de qualque aparelho estrangeiro estar no Brasil e NÓS temos que nos adaptar. Chega, né?

Segunda colocação é a respeito da “polarização”, que não é um termo adequado para corrente alternada. Como sabemos, a consecionária de energia elétrica entrega para uma residência, basicamente, fase e neutro. O terra tem que ser feito na residência. Destes 3 fios, o que realmente da choque é o fase. Em aparelhos com chave liga e desliga (não estou falando dos aparelhos com standby com simbolo liga e desliga) é interessante interromper o fase pela chave para não deixar a maior parte do equipamento exposto à fase, dando choque. Dai a importância de se determinar qual o pino fase na tomada e no plug também, por consequencia.

É isso ai. Abraços a todos,

Luis Carlos Braga
Tec. Eletrônico.


 
Tomas
jul 5, 2011 at 11:51 pm

Eriberto, não li todos os posts, talvez essa dúvida até já tenha aparecido, mas vê se tu pode me ajudar? comprei um aquecedor com plugue de 20A, porém as tomadas da minha casa, já no padrão novo, são todas de 10A. Apenas trocando a tomada por uma de 20A não resolve, certo, precisaria trocar a fiação desta tomada? abraço


 
Eriberto
jul 18, 2011 at 3:04 pm

Tomas, TALVEZ precise adicionar fiação exclusiva e adequada. Isso dependerá da especificação do aparelho.

[]s


 
Gilmar
jul 19, 2011 at 9:53 pm

Meus caros colegas, boa noite.
Gostaria de saber amigos , referente as tomadas , quando o manual se refere a tomadas de 100 VA e 600 VA , essas tomadas seriam uma linguagem estrangeira ? E onde é encontrado esses valores.Desde já fica ai os meus agradecimentos.


 
José Renato
jul 24, 2011 at 2:07 pm

MUITAS DUVIDAS PODEM SER RETIRADAS ATRAVÉS DE VARIAS INFORMAÇÕES AQUI CONTIDAS.
OS TÉCNICOS SABEM DE ANTEMÃO AS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS A SEREM APLICADAS DE ACORDO COM A ABNT. RESTA APENAS MUITA "ATENÇÃO" SOBRE CADA FABRICANTE EM REFERÊNCIA A POLARIZAÇÃO. POR EXEMPLO: PEGUEI UMA TOMADA DUPLA TRAMONTINA E FIZ A LIGAÇÃO EM 110v COMUTANDO O LADO NEUTRO (LADO DIREITO VISUALISANDO A TOMADA FÊMEA COM O PINO TERRA(central) PARA BAIXO.) JUNTO COM O PINO CENTRAL E A FASE DO LADO ESQUERDO. COMO A TOMADA ERA DUPLA ELAS ESTAVAM INVERTIDA EM SE TRATANDO DE LIGAÇÃO PARALELO. OU SEJA: UMA ESTAVA COM O PINO CENTRAL PARA BAIXO E A OUTRA ESTAVA PARA CIMA. PARA FACILITAR AS LIGAÇÕES EU RETIREI UM DOS REFIL E COLOQUEI NA MESMA POSIÇÃO DO OUTRO. NOTA: A CAIXA QUE VEM COM 10 PEÇAS ESTAVA TODA ASSIM. SE FOSSE FEITO UMA LIGAÇÃO ATRAVESSANDO DE UMA A OUTRA PARALELAMENTE, ESTARIA FAZENDO UM CURTO QUANDO LIGASSE DOIS APARELHOS NA MESMA REDE. PRESTEM ATENÇÃO A ESSE DETALHE DOS FABRICANTES.


 
Eriberto
jul 28, 2011 at 1:27 pm

José Renato, isso não causaria um curto. Apenas uma ligação com polarização errada.

[]s


 
Jacks sp.
set 1, 2011 at 8:20 pm

caro amigo Gilmar. a potência em VA e potência em corrente alternada. para você transformar em potência de corrente contínua basta você multiplicar o valor de VA por 2 e dividir por 3. ex: 100 va multiplicado por 2 é igual a 200 e dividir por três que é 66,66 watts contínua. a mesma coisa é o caso de 600 va que fazendo o mesmo processo equivale a 400 watts. os estabilizadores de tensão e nobreak vem e VA e é só usar o mesmo processo. então essas tomadas de 100 e 600 VA suportam respectivamente 66,66 watts e 400 watts de potência. na verdade eu entrei nesse SITE somente para PARABENIZAR a ABNT e o INMETRO. essas duas entidades foram muito criticada por adotar esse padrão Brasileiro. os estrangeiros sempre enfiaram as tomadas deles no mercado Brasileiro. tomadas essas sem nem uma segurança e muito feia. a tomada no padrão Brasileiro é mais SEGURA e mais BONITA. até outros Paises tem interesse em adotar o padrão da tomada Brasileira. vamos sempre apoiar essas entidades. OS CRÍTICOS TEM QUE ENGOLIR ESSA.


 
Jacks sp.
set 3, 2011 at 11:59 pm

caro amigo Tomas. se o plug do seu aquecedor é para 20 ampères e ele é ligado em 110 volts o aquecedor terá potência máxima de 2200 watts. se o fio da sua tomada for de bitola 2,5 mm é só trocar a tomada de 10 ampères por uma de 20 ampères. o fio com bitola de 2,5 mm suporta corrente de até 21 ampères. outro exemplo para melhor clarear o assunto: se você instala um chuveiro em sua casa e esse chuveiro tem potência de 7500 watts e tensão em 220 volts. você divide potência sobre tensão e terá a corrente de 34 ampères. (7500/220=34,09A) a bitola do fio que suporta esse 34 ampères é o fio bitola 6 mm porque ele suporta 36 ampères. o disjuntor bipolar de proteção será de 40 ampères porque é o valor mais próximo encontrado no comércio. a relação bitola do fio mais usado e a sua amperagem são: 2,5 mm 21 ampères. 4 mm 28 ampères. 6 mm 36 ampères. 10 mm 50 ampères. 16 mm 68 ampères. saudações.


 
marcelo
set 7, 2011 at 3:57 pm

me salvou valeu valeu sobre a polaridade da tomada


 
Kleberson Lima
out 1, 2011 at 1:28 pm

Eriberto, boa tarde!

Parabéns pelo POST! A informação é utilíssima e me ajudou bastante.

Abraço.


 
jair corcino
out 10, 2011 at 6:22 pm

boa eriberto, nao sabia que a polaridade da tomado padrao nova brasileira é o pino da direita com a seta para cima, agora gostaria de saber como procedo para instalar uma toma padrao de tres pinos,tenho uma antiga em casa ligada quatro fios, duas que entra para a tomada e dois que esta jampeada para outra tomada so que nao estou entendendo como proceder nessa nova tomada de tres pinos ja que nao me parece dar para jampear. obrigado desde já.


 
Geizon
out 13, 2011 at 9:41 am

Bom., o maior problema na inverção na polaridade é que , ao inverter uma tomada para aparelhos com fontes não cenoidais, todas as tomadas da rede tambem tem que ser convertidas, pois as fontes são exatas. E principalmente os Pcs. com placas gráficas de alta performace resetam com o principio de se protegerem , pois acusam falha na rede elétrica.


 
eusebio
out 16, 2011 at 3:24 pm

Professor Eriberto, gostaria de tentar explicar porque em alguns casos a inversão do fase e do neutro é irrelevante. Nos equipamentos com fonte chaveada, como computadores, carregadores de celular, aparelhos de DVD, televisores, etc., não faz diferença alguma o fase e o neutro ficarem invertidos. Toda fonte chaveada retifica a tensão de entrada, ou seja, os pólos neutro e fase da rede elétrica são conectados AO MESMO PONTO, através de uma ponte retificadora (4 diodos). A tensão de entrada, que é alternada, passa a ser contínua (127V CA para 150V CC e 220V CA para 300V CC). A partir desta tensão de entrada, tem um circuito que realiza o seu chaveamento em alta frequência, gerando tensões menores e isoladas, adequadas aos componentes do equipamento. No caso dos computadores, na saída das fontes ficam disponíveis as tensões de 12V CC, 5V CC e 3,3V CC. Outros equipamentos terão outras tensões de trabalho, conforme a necessidade. Mas não ocorre o mesmo em geladeiras, máquinas de lavar roupas e equipamentos que utilizam motores ou transformadores grandes. Aí ocorre um problema de indução de energia para a carcaça, que obriga a ligação correta dos pólos fase e neutro. Quanto aos equipamentos com varistores, deve-se lembrar qual o comportamento destes componentes: são circuitos abertos até a tensão de trabalho, e tornam-se curto-circuito quando esta tensão é ultrapassada. Assim, se alguém queimou um varistor, é porque ligou o aparelho numa tensão maior do que aquela para o qual foi projetado. Maiores explicações, estamos à disposição.


 
Luladrao
out 29, 2011 at 9:36 pm

Engracado o padrao brasileiro so ser padrao aqui e na africa, alias , esse novo padrao brasileiro era utilizado na espanha a muitoooo tempo atras e foi abandonado por ser..hummmm bem, padronizar coisas nao eh o forte do brasil, agir como pais de 1o mundo sem saber o que faz eh constrangedor .


 
Eriberto
out 30, 2011 at 7:09 am

Aprovei esse comentário do tal Luladrao (que usou e-mail falso) para mostrar quanto imbecil tem na Internet. Pessoas que se escondem no anonimato para falarem as maiores besteiras possíveis sem saber, ao menos, o que estão falando.

O novo padrão acabou com a "zona" que existia no Brasil. Tomada de tudo quanto é jeito, sem padrão e polarização. Ainda, REALMENTE, elimina o risco de choque elétrico.

O padrão foi criado por profissionais e órgãos respeitáveis, que estudaram por muito tempo o assunto e aprovaram uma norma séria. Aí vem um sujeito que não tem ideia do que realmente foi feito e fala as suas besteirinhas para se promover. Para se sentir "cara pintada", Sr correto ou coisas assim... Francamente... Mente pequena.

Abraços a todos.

Eriberto


 
Jacks sp.
nov 1, 2011 at 7:00 pm

Eriberto. esse tal do Luladrão deve ser [sensurado]. em primeiro lugar essa tomada que ele fala foi projetada na Suiça e não na Espanha. ela foi projetada para ser parafusado na parede com 4 parafusos, ela é quadrada e tem uma TAMPA que ficou horrível igual aos [sensurado]. o Brasileiro como tem MUITA CRIATIVIDADE, fez um modelo com TOTAL SEGURANÇA e total harmonia com o ambiente.


 
Jacks sp.
nov 3, 2011 at 7:31 pm

eles fazem PIADAS de Brasileiros que vocês ficariam HORRORIZADOS. CADÊ A LIBERDADE DE EXPRESSÃO. ISSO É FALSA MORALIDADE.


 
wanderson
nov 7, 2011 at 9:10 am

eu istalei seis tomadas duplas do padrao novo, mais as tomadas nao funcionam juntas vc liga um aparelho em uma ponta o da outra nao funcionam como faço nesse caso.


 
Paulo
nov 9, 2011 at 1:39 pm

Caro Eriberto,

Você sabe dizer porque a Pial Legrand está com todo o seu site com as fotos das tomadas no novo padrão com o pino de aterramento para baixo, ou seja, ao contrário da norma? Além disso adquiri tomadas da linha Pial Plus que vem com uma etiqueta para indicar a tensão 127 V ou 220 V. Caso essa etiqueta seja usada, como o padrão deles é fora da norma, a indicação da tensão fica de cabeça para baixo? Eita PIAL.....


 
Eriberto
nov 9, 2011 at 5:00 pm

Paulo, você pode indicar o link?


 
 
Eriberto
nov 16, 2011 at 10:23 am

Paulo,

A norma não prevê se o terra fica para cima ou para baixo. Prevê que a fase fica à direita do terra caso o mesmo esteja para cima. Se o terra ficar para baixo, a fase estará automaticamente na esquerda. Mas isso é uma questão estética apenas.

[]s


 
Paulo
nov 17, 2011 at 3:44 pm

Obrigado Eriberto foi uma falha de interpretação minha! Agora estou em paz! A propósito, já estou vendo algumas tomadas de equipamentos (terminal macho), vindo com o pino de neutro já marcado no molde injetado! Grande avanço. Tomara que todos sigam esta evolução.


 
Rafael Ribeiro
dez 18, 2011 at 3:19 am

Parabéns pelo site/Blog Eriberto.

Fiquei com dúvida em relação a polarização das tomadas, pois quando precisei trocar algumas tomadas e já para o novo padrão, tinha como base o velho 2p+T, e com o auxilio de uma simples chave de teste e um filtro de linha/Tomadeiro, verificava a polaridade, quando correta, o filtro ficava aparentemente com tensão nula, e errado, mesmo desligando na chavinha, ficava com tensão nos 2 pólos. Aqui a energia é 220V.

Comprei adaptadores da Alumbra, muito bom, seguro, pois contém uma tampa interna e para empurrar precisa fazer uma forcinha, acredito que crianças não consigam empurrar, e sempre considerei o correto e vi através desse site que não estava errado.

Adaptador 2p+T - 2794 - http://www.alumbra.com.br/PRODUTOS/produtos_plugues/Folheto-Plugues_Alumbra.pdf

Onde fiquei com dúvidas? Quando a Igreja que frequento trocou a instalação e todas as tomadas com o novo padrão, levei meu adaptador e vi que estava correto, mas, como existem equipamentos com plugues antigos, compraram o adaptador da Pial, usei por um bom tempo, até perceber uma queda de rendimento nos aparelhos e vi que esse adaptador tem a polarização invertida, comparado ao alumbra. Quem opera sistemas de áudio, sabe bem que energia estável é fundamental, polarização correta, aterramento, etc.

Aos novos equipamentos, talvez não precise de preocupação sobre pólos, mas ao antigos, acho que sim, já que como o exemplo do filtro, a energia não foi cortada, com risco de choque, pois os terminais estão energizados(considerando filtros, estabilizadores, no-breaks, gerenciadores, ...).

O da Alumbra está conforme a imagem que está no site - http://www.eriberto.pro.br/blog/wp-content/uploads/2009/10/comparacao_tomadas2.jpg

Parabéns mais uma vez, a discussão está boa, e eu, aprendendo muito.


 
Pedro Alves
dez 20, 2011 at 6:00 pm

A grande questão que tem que ser debatida não são estes plugues daqui ou dali.
O grande problema da rede elétrica brasileira é que falta aterramento na rede elétrica.
Não adianta colocar plugues e tomadas com aterramento em casa ou escritorio das pessoas se a rede elétrica é toda contruida sem aterramento.
A qualidade da rede elétrica brasileira é péssima e os eletricistas não são capacitados e orientados corretamente.
As grandes empresas que fabricam produtos - plugues, etc. - como a SIEMENS, PIAL, etc. ficam preocupadas em criar novas normas para vender novos plugues e produtos.
Os padrões antigos, que existem em quantidade pelo pais, são proibidos de serem comercializados e os comércios que ainda tem estas normas antigas são multados e as mercadorias apreendidas.
Com isto se força a migração para os novos padrões para simplesmente poder vende-los mais rápido.
Isto é um aspecto sujo e cinico da corrução das grandes empresas: SIEMENS, PIAL, etc.


 
Nailson
jan 14, 2012 at 10:37 pm

Eriberto,

Obrigado pela informação... sempre fico em dúvida.

Eu considero o padrão novo bom, principalmente pela segurança.
Quanto ao problema dos aterramentos, o problema é cultural.

Ainda não construí minha casa, mas quando o fizer, será usando os mais altos padrões de segurança e qualidade. Na vdd preciso tomar vergonha na cara e ter um livro do Mamede à disposição.


 
Leonardo Navarro
jan 26, 2012 at 1:39 pm

Boa Tarde pessoal, verifico que em diversos sites foi gerada uma grande dúvida com relação ao novo padrão de tomadas.
A maneira correta de polarização é tomar como base o pino central (aterramento) posicionado para a parte superior, desta maneira a fase se apresenta na direita e o neutro na esquerda, o que ocorria inversamente na padrão antigo.
Como trabalho com a parte de tecnologia relacionada a automação, tenho grandes problemas quando conectado inverso, preciso de polaridades corretas e no mercado o que mais estou encontrando são adaptadores de tomadas construidos de maneira errada e com selo do inmetro, uma seleção visual para o adaptador correto é observar a localização dos pinos de aterramento que devem se apresentar um posicionado na parte superior e o do outro lado na parte inferior, já me surpreendi com adaptadores de diversas marcas renomadas, fiquem atentos, isso compromete o funcionamento dos equipamentos eletronicos, inclusive computadores, por possuir uma fonte chaveada e de base eletronica, que necessita de fase em local especifico.
Espero ter contribuido no forúm e estarei a disposição sempre que precisarem.
Abraço a todos.


 
Mônica
mar 27, 2012 at 1:18 pm

Gostaria de tirar uma dúvida que ainda não consegui elucidar por meio das pesquisas na internet. Alguma coisa já foi dita aqui no blog, mas nada explícito.
Minha dúvida é a seguinte: Se no mesmo espelho, eu quiser instalar uma tomada do padrão novo e uma do padrão antigo, uma das tomadas terá que ficar de cabeça para baixo em relação à outra, a fim de que o fio fase seja ligado no lugar certo, sem precisar inverter o fio.
Isso está correto?
E se posicionarmos as duas tomadas com o marcador do terra para cima e ligarmos o fio fase no lado direito dos dois plugs (estaremos ligando o fase no lado correto da tomada nova, mas no lado neutro da tomada antiga), o que acontece?
Outra dúvida: ao substituir uma tomada antiga pela tomada nova de dois pinos, é necessário identificar o fio fase ou, no caso da tomada de dois pinos, isso é irrelevante?
Desculpa direcionar essa dúvida ao blog, mas, por incrível que possa parecer, é o mais completo da net atualmente, inclusive apresentando o padrão da nova tomada, que dificilmente achamos em outro lugar.


 
Eriberto
mar 30, 2012 at 9:36 am

Mônica, vamos lá. Vou responder uma a uma:

[...] uma das tomadas terá que ficar de cabeça para baixo em relação à outra, a fim de que o fio fase seja ligado no lugar certo, sem precisar inverter o fio.
Isso está correto? [...]

Sim, está correto. Mas pode ligar as duas com o terra para cima e inverter fase com neutro na hora de fazer ligação com fio. Os dois métodos estão certos.

[..] E se posicionarmos as duas tomadas com o marcador do terra para cima e ligarmos o fio fase no lado direito dos dois plugs (estaremos ligando o fase no lado correto da tomada nova, mas no lado neutro da tomada antiga), o que acontece? [...]

Alguns aparelhos que precisam de polarização correta poderão trabalhar de forma errada e sofrer danos.

[...] tomada nova de dois pinos, é necessário identificar o fio fase ou, no caso da tomada de dois pinos, isso é irrelevante? [...]

É irrelevante. Aparelhos que precisarem de polarização virão com o pino terra para que você ligue corretamente.

[...] {este blog} é o mais completo da net atualmente, inclusive apresentando o padrão da nova tomada, que dificilmente achamos em outro lugar. [...]

Obrigado pelo elogio. Escrevo de graça no meu blog e o seu elogio é o melhor pagamento.

[]s

Eriberto


 
Eliane
abr 3, 2012 at 1:58 pm

Bacana essa matéria. Como tem muito comentário, não consegui ler tudo pra verificar se alguém comentou o absurdo q fizeram conosco ao trocar POR LEI as tomadas e plugs, já q são FALSOS: não há fio terra coisa nenhuma! Isto foi um baita dum golpe só pra arrancar $ de todo mundo. Estou indignada. Sei de técnicos bons q, simplesmente arrancam o 3° pino e continuam usando tudo normalmente. Estamos encrencados com esta história de ir buscar adaptadores pra isso, praquilo, marcas, vendem errado, nem mesmo o usuário sabe q está comprando errado e não vai voltar pra trocar 'lá na china'- onde comprou - por um adaptador q sirva. E os estabilizadores de pcs, então - meu atual problema: os adaptadores ROUBAM entradas e se vc usa 5, só poderá usar 2 pois os trambolhos ocupam muito espaço! Mandaram recolher tudo de antigo, E aí? Derruba a casa e coloca tudo novo pra q, se não há fio terra? Vende tudo e compra só novo? E q segurança é essa? A do inventor de mais essa falcatrua imbecil! Ele sim, tem a segurança de ficar milionário com essa história! E só ele! Tenho vergonha tanta roubalheira e esta é registrada na ABNT! Todo bom técnico sabe q isto é roubalheira oficializada - a idiota aqui é só mais uma... Q fio terra, Eriberto? Q fio terra????? Não há! Papo mais maluco, cara... Desculpe, nada com vc, mas com essa maldição!


 
Eriberto
abr 5, 2012 at 2:26 pm

Eliane,

Observando os seus profundos conhecimentos em eletricidades, talvez advindos da sua provável formação em engenharia, só me resta dizer que acho que você anda meio enganada...

O que você acha de conhecer melhor um assunto no qual deseja opinar??? Saber sobre efeitos de corrente etc?

Grato,

Eriberto


 
Antonio
abr 8, 2012 at 9:17 pm

Pois é. O meu problema vem justamente da famosa "padronização". Minha casa tem dois pontos de terra... é.... mas nem toda a casa é servida pela fiação e estou trocando as tomadas à medida que se faz necessário. E aí mora o problema. Todas as tomadas são de 10A e, portanto, de acordo com a norma, pino de 4mm. Ocorre que comprei equipamento com plugue de pino de 4,8mm e agora não se encontra tomada de 4,8mm que é 20A. Nem se encontra um adaptador. Solução? Cortar o cabo e afixar um plugue comum. Maravilha!!! Comprar produto brasileiro made in china é nisso que dá. Moral da história? Não prestei atenção e fui na onda da "padronização" que não está disponível.....


 
Robson Nascimento
abr 13, 2012 at 10:38 am

Adorei o site. Parabéns mesmo, trata muito bem do assunto de padronização. Muito interessante o debate do assunto. Apenas para jogar mais lenha na fogueira, lembro os colegas que o sistema elétrico é todo aterrado, e disto resulta que devemos instalar o aterramento adequado também nas nossas instalações. O problema é que se o aterramento for muito bom (de baixa impedância), irá atrair, pelo aterramento, as sobretensões do sistema, o que poderá provocar a queima de equipamentos e/ou energização acidental de equipamentos e instalações pelo "retorno". Por outro lado, se não for eficiente o aterramento, de nada valerá, pois não irá proteger nem pessoas nem equipamentos ou instalações.
Portanto, a discução não é apenas sobre padrões, ou faseamento, claro que estas questões são importantes, mas deve passar pelo trabalho de profissional capacitado e responsável.


 
Marcus Tulius
abr 13, 2012 at 4:58 pm

Eriberto, parabéns pelo estudo e publicação desse assunto, há muitas dúvidas entre os profissionais da área e, por incrível que pareça, ainda tem muita gente discordando desse ponto de vista. Sou técnico eletrônico e atuo na área de eletrotécnica, porém, assim como você, encontrei muitas dificuldades para definir quem era a fase da tomada no novo padrão, pelo fato de não haver literatura científica e clara sobre tal procedimento.
Com isso, gostaria de ressaltar ainda que, encontrei algumas casas comercializando tomadas "T" (em algumas regiões a chamam de "BEJAMIM) com polarização invertida em um dos lados da tomada "T". Portanto, quem for adquirir um desses componentes, é bom levar um teste para averiguar se os três pontos estão de acordo com o padrão mencionado.
Obrigado
Tulius


 
Eriberto
abr 14, 2012 at 12:42 am

Grato Marcus Tulius!

Abração!!!


 
Leonardo
abr 17, 2012 at 8:57 pm

Eriberto,

Parabéns pelo post, excelente. Gostaria de ressaltar que o tema se torna complexo justamente pela falta de informação. Quando uma pessoa vai estudar eletricidade, elas simplismente buscam os cursos mais baratos, ou aprendem in loco na obra com algum eletricista casca grossa das antigas. Com isso, nossos eletricistas e técnicos tem pouquíssimo conhecimento técnico. A literatura está disponível e bons cursos também. O Novo padrão é fantástico, porém quem deveria dar exemplo nos surpreendem com descumprimento das normas, como no exemplo do adaptador da Pial que inverte a polaridade. Para isso, nós devemos estar atentos e não usar e compactuar com essas aberrações. Há outras marcas que possuem os adaptadores na polaridade correta. Independente de ser importante pra um tipo de aparelho, ou irrelevante para outros, as tomadas devem estar sempre polarizadas. Está na norma, pronto! O aterramento é a mesma coisa. Tem que existir e ponto final. Não podemos e não devemos deixar de seguir com os padrões e as normas, eles levam anos para serem colocados em prática e sempre vão em busca de melhorar e dar ao mercado algo seguro e com o consumidor sempre protegido. O que falta em nosso país é conhecimento. Quando vou a algum cliente que pede para dar um jeitinho fico muito chateado, pois sei que sempre haverá outro "profissional" que irá fazer uma gambiarra e o tal cliente irá pagá-lo por isso, achando que está tirando a maior onda por que economizou com o trambiqueiro que fez uma gambiarra esperta. Feliz daquele que contrata um profissional capacitado, pois certamente além de ter condições de fazer um trabalho decente, irá dar a esse cliente uma aula de uma boa instalação. Resumindo: Estude, e faça o correto e procure atender a clientes que valorizem isso.


 
Wilker
abr 24, 2012 at 3:29 pm

Muito bom, eu vi que muitos já parabenizaram, mas não pude deixar de parabenizar também, não só o post em si, mas as muitas dúvidas referentes a procedimentos de instalações e diversas opiniões a respeito do novo padrão adotado no Brasil. Me formei a pouco em Eletrotécnica em meio a essa mudança, e tava precisando muito me informar a respeito disso. O Blog tá de parabéns por essa publicação!


 
Eriberto
abr 30, 2012 at 10:04 am

Grato Wilker!


 
PAULO LIMA
mai 2, 2012 at 5:05 pm

Eriberto, obrigado pela colaboração. São pessoas como vc que esta fazendo nosso Brasil melhor. Eu tive duvida com esse novo plug, pois, de quem olha para ele o do lado Direito tem um "N", dai me confundiu todo. Mas seu diagrama solucionou meu problema.
Parabens!


 
Eriberto
mai 5, 2012 at 3:20 pm

Grato Paulo Lima!!!


 
André W.
mai 6, 2012 at 5:34 pm

Primeiramente, parabéns pela ótima iniciativa de criar este post.
Sem querer entrar pelos temas das possíveis más intenções por trás da iniciativa de se mudar o padrão que alguns aventaram, de fato as coisas feitas em nosso país sempre deixam a desejar.
Vejo neste novp padrão e em seu processo de adoção, alguns problemas fundamentais: primeiro, deveriam sim padronizar a posição do terra (cima/baixo) - mais do que estética, isso forçaria os fabricantes a adotar um padrão nos plugs de 90 graus. Segundo, a norma não define pressão e área de contato mínimos. Já montei tomadas do novo padrão, de vários fabricantes com selo do Inmetro, que produziam falhas de conexão com intermitência no contato ao menor esbarrão no cabo. Por último, se a norma pretendia, de uma vez por todas, padronizar e impor aterramento em nossas instalações, por que permitiram a fabricação de tomada fêmeas com dois pinos? Deparei com diversos casos onde o equipamento possuía o terceiro pino, mas a tomada da parede não. Em diversos casos, meus lientes arrancaram o pino do cabo para não yerem de trocar DE NOVO a tomada. Embora eles tenham agido de forma indevida, entendo qur foram lesados, pois haviam adquirido recentemente tomadas no NOVO PADRÃO BRASILEIRO, e com o louvadíssimo SELO DO INMETRO.


 
Raphael
mai 12, 2012 at 12:12 am

Bom,

Sou engenheiro e sempre projetei e dimensionei a parte elétrica da família (sou eng. mecânico) heheheh, de qualquer forma, eu utilizo como padrão de polarização a européia (lado direito fase), que agora a ABNT a impôs em sua norma.

Quanto ao novo padrão ABNT, sinto em informar, mas não creio que seja uma boa 'forçar' todos a usarem o novo sistema, por 2 simples fatos: Atire a primeira pedra quem NUNCA removeu o pino de aterramento de uma tomada (computador) e utilizou-a normalmente? Quantos brasileiros possuem efetivamente aterramento corretamente dimensionado e efetivamente funcionando em suas residências? A resposta é praticamente nula.

Eu possuo em minha residência, tomadas Siemes Delta Mondo, que as troquei antes do 'novo padrão' ser obrigatório (a 2 anos atrás), são fabricação Húngara e Uruguaia, conexão perfeita, sem mal contato, sem problemas, quanto ao choque, instalei um DR em minha residência, que esse sim é responsável por evitar choques e não um plugue novo!

Para resolver o problema de 'compatibilidade' de novos equipamentos com meu padrão 'antigo', adquiri adaptadores que resolvem meu problema.

Outra questão, praticamente 85% dos meus equipamentos elétricos/eletrônicos são provenientes dos EUA, logo, eu preciso da tomada 'antiga' para fazê-lo funcionar e o padrão novo 'me prejudica'.

Quanto a segurança em geral, nos EUA, todas as tomadas são 'chatas' e possuem proteção (fusivel na própria tomada), e uma tecla 'test'. Na Inglaterra, o padrão é totalmente diferente, é uma base redonda grande com 3 pinos e também fusível na propria tomada, para mim esse seria o padrão mais seguro para tomadas (UK) e não o brasileiro.

Mas volto a insistir: solução para choques? Somente o DR

Abçs e parabéns pelo blog.


 
André W.
mai 17, 2012 at 1:47 pm

Alguns comentários sobre os comentários do Raphael, sem o objetivo de ofender ou agredir, mas para esclarecer pontos que considero imprecisos ou inadequados. Como sou da área de instrumentação elétrica e controle (há +30 anos e ainda atuando), creio poder contribuir com algumas informações mais ajustadas aos pontos observados pelo Raphael e outros neste fórum.

Primeiro - "forçar" o padrão, em princípio não está errado. As normas e padrões, se não forem impostas e obrigatórias perdem seu propósito; "Padrão" é aquilo que todos seguem e que permite a conexão, arranjo, montagem ou o que for (seja padrão elétrico ou mecânico), sem que sejam necessárias adaptações de última hora, as famosas gambiarras. O respeito à norma garante as especificações e performances projetadas originalmente para o sistema. Qualquer adaptação improvisada possui características indeterminadas (quem calculou ou testos os resultados da adaptação) e por isso, é sempre um risco - Lembrem-se de prédios caindo, marquises e cartazes que se soltam, incêndios em lojas e residências por problemas envolvendo eletricidade e gás. Recentemente tivemos VÁRIOS casos nas manchetes dos noticiários...

Segundo - A existência do terceiro furo para conexão do terra na tomada não obriga a ligação de um circuito de terra que não exista na instalação antiga e fora da norma. Mas evita que se arranque o pino de terra dos plugs, o que, além de um ato de barbarismo meio selvagem, pode, entre outras coisas, acabar com a garantia do produto em questão.

Terceiro - Nenhum mecanismo de proteção ativa, ou seja, sistemas que para proteger precisam atuar elétrica e/ou mecanicamente, tais como disjuntores DR, fusíveis e outros, é mais seguro que um simples e bom aterramento. Em caso de ruptura de qualquer isolante, presença de umidade ou outra forma de contato entre a fase e a carcaça do equipamento, estando esta ligada no aterramento, ao mesmo potencial que o ser humano que está em contato com o aparelho, não haverá corrente circulando pelo seu corpo. E aí sim, o fusível ou disjuntor irá atuar (lembre-se que no Brasil, o neutro é aterrado pelas concessionárias), protegendo não só o usuário, mas evitando também a continuação da corrente desviante que poderia causar queima do equipamento ou mesmo um incêndio.

Um aterramento bem feito não possui peças móveis para quebrar ou emperrar. Um disjuntor pode falhar e fusíveis queimados costumam a ser substituídos por papel alumínio ou "araminhos", pelos mesmos indivíduos que arrancam pinos de terra dos plugs ;)

Quarto - Adaptadores são muito úteis - como conexões PROVISÓRIAS. Nenhum equipamento permanentemente conectado (geladeiras, condicionadores de ar, fornos, máquinas de lavar) deveriam ser ligados por meio de adaptadores. Principalmente os de alto consumo!!!

Raphael, você fez engenharia, então deve se lembrar de duas coisas: Primeiro, em análise de falhas de sistemas (MTBF, MTTF, Confiabilidade, etc): associação em série de elementos reduz a confiabilidade total do sistema, uma vez que o mesmo depende de todos os itens da cadeia para operar. A força de uma corrente é limitada pelo seu elo mais fraco. Segundo, o adaptador impõe mais resistências de contato em série (Lei de Ohm) e peso extra sobre a mecânica da tomada, reduzindo a qualidade da conexão e também a sua vida útil, por forçar continuamente os elementos elásticos do conector. Além disso, contatos intermitentes podem danificar equipamentos mais sensíveis (DVDs, computadores, videogames).

Devemos lembrar também que um bom filtro de linha devidamente aterrado (infelizmente, a maioria disponível no mercado é puro engodo - mas isso já é outra história) pode proteger seus equipamentos de surtos (os famosos transientes ou picos na rede elétrica). Alguns causados por variação de carga da própria concessionária e outros induzidos por descargas atmosféricas (Raios). Mas esta proteção <<>>.

Por último, mesmo que a preocupação não seja com a saúde do usuário (aí torna-se uma questão pessoal - as normas visam evitar acidentes e proteger em primeiro lugar as pessoas), a conexão de monitores, impressoras e computadores sem o fio terra permite o surgimento de diferenças de potencial indevidas entre os mesmos, o que pode causar queima de portas USB, VGA, etc, uma vez que os potenciais elétricos dos sinais presentes nestes conectores devem estar referenciados ao mesmo nível potencial.

Mesmo que em sua residência não haja um bom (ou qualquer) aterramento, é conveniente que as carcaças de todos os seus itens de informática tenham seus terras interconectados entre si. Isto é feito facilmente por meio de uma barra de tomada com pinos de terra e cabos de três pinos, sem seus pinos arrancados, naturalmente.

Um abraço a todos do forum,
André W.


 
Eriberto
mai 21, 2012 at 9:40 am

André W., parabéns pelo comentário. Concordo plenamente.

Noto que muitas pessoas que postam aqui, o fazem simplesmente para reclamar de algo. E noto também que isso é normal no ser humano: a mania de tentar achar um defeito para poder se expressar ou para lutar pelos seus direitos morais que inexistem.

A iniciativa de padronização é um importante fator para a segurança e até mesmo para o desenvolvimento do país. A forma como tudo estava antes era um caos. Enquanto todos buscam padronização, tínhamos um cenário de despadronização. E somos um país de dimensões continentais. Isso justifica termos o nosso próprio padrão. Mas muitos acham que é para alguém ganhar dinheiro. Às vezes, quem diz isso são até pessoas que praticam a "lei do Gerson" mas não gostam de ser vítimas disso... Mentes pequenas. Dizem que alguém criou um padrão para lucrar. Mas se tivéssemos utilizado o padrão europeu ou americano, diriam que há gente fazendo um esquema para importar e enriquecer. Sempre haverá alguém pensando em como pode ser o esquema que nem existe.

Este meu comentário não é direcionado a fulano ou beltrano. É um comentário geral.

[]s a todos.


 
Marcos Morais
jun 7, 2012 at 12:02 am

Bom...gostaria de deixar meu ponto de vista sobre esse assunto complexo e polêmico.
Trabalho em uma empresa de engenharia elétrica, e trabalhamos basicamente com instalações e distribuição elétrica em eventos de grande porte, e tendo em vista que o Brasil quer ser mais um polo de eventos mundialmente falando (só em SP a indústria de eventos rende bilhões de doláres anualmente), a postura de criar um padrão praticamente único, economicamente falando foi um erro. Vocês não imaginam a quantidade de problemas causados por essa padronização, isso eu digo na vida prática, não na teoria, e não adianta falarmos que "os gringos" que se adaptem quando vierem para cá. Estamos as vesperas de Rio +20, Copa das Confederações, Copa do Mundo, Olimpiadas, e o que tenho visto no meu dia a dia são só confussões, e acho que a postura de "o mundo que mude para nosso jeito", é uma forma provinciana de ver um mundo tão globalizado.
Quanto ao quesito segurança, o padrão europeu (também conhecido como shucko), esse sim é realmente seguro, por um simples fato, ele tem uma estrutura que faz com que o "terra" tenha contato com o plugue antes dos pinos a serem energizados! É uma proteção física, é indiscutível o quanto isso é realmente seguro em comparação ao padrão brasileiro.
E quanto ao alarmismo sobre a ameaça sobre a morte por descargas elétricas, vocês tem idéia de quantas pessoas tem acesso a pontos elétricos no Brasil? resposta rápida: centenas de milhões de pessoas, adultos, crianças e idosos. E agora a pergunta crucial, onde estão as estatísticas sobre quantas pessoas morrem anualmente por descargas elétricas em tomadas? Ou seja, foi criado o fantasma do perigo de se morrer por uma descarga elétrica de uma tomada, mas esse perigo é bem menor que atravessar a rua, por exemplo.


 
Danilo
jun 15, 2012 at 3:16 pm

Amigo, concordo e até gosto desse novo padrão de tomadas, mas agora estou enfrentando um problema por falta de padrão (ou seriedade) das empresas que produzem produtos eletroeletrônicos. E não estou falando daqueles que fazem um fio padrão pro equipamento, com o formato da nova tomada mas só com 2 pinos (minha geladeira novinha veio assim), mas essa semana comprei um aquecedor de ambientes e selecionei o pedido (pelo site) para um produto 110V, porém, ao receber o equipamento, me deparei com um cabo/fio de energia cujos 3 pinos machos são mais grossos que outros que tenho, ou seja, não encaixa na tomada 110V de meu apto.
Foi então que percebi que as tomadas 220V são com os furos mais grossos.
Ou seja, a fabrica vende o aparelho em uma ou outra tensão, vc escolhe, mas o fio é sempre o mesmo. Logo, agora estou louco atras de um adaptador para ligar o aparelho, pois cortar o fio acabaria com a garantia.
Fica aqui minha msg como um leve protesto e indignação e também para aproveitar e pedir ajuda a quem ler. Alguém sabe onde consigo um adaptador de pinos 220V para 110V.
Obrigado e abraços.


 
Vinícius
jun 17, 2012 at 3:04 am

Pessoal me bateu k uma dúvida. As tomadas Pial vem com o pino de aterramento pra baixo. fiz minha eletrica toda com o terra pra cima. A questão da polarização é tranquila terra pra cima fase na direita, terra pra baixo fase na esquerda. Se gira o modulo fica tudo certo. Observei o pino de um microondas que comprei, pra que ele não ficasse com o cabo invertido tive de usar o terra do modulo pra cima. E ai pessoal tem alguma norma em relação ao terra encima ou embaixo?


 
Eriberto
jun 17, 2012 at 10:32 am

Danilo, isso ocorreu porque aquecedores consomem mais. A tomada que você recebeu é de 20A e as que você possui são de 10A. Isso está descrito no novo padrão. Bastará você comprar uma tomada fêmea de 20A para a sua parede. Ou seja: não há nada de anormal. É assim mesmo!

[]s


 
Eriberto
jun 17, 2012 at 10:34 am

Vinícius, não tem. Apenas SEMPRE representamos o terra para cime em esquemas. Só isso.

[]s


 
Fábio
jul 3, 2012 at 8:54 am

Prezado Eriberto,
Primeiramente desejo parabenizá-lo pelo excelente blog e pelo ótimo post.
Desejo fazer-lhe uma pergunta: Quais os danos que a inversão de polaridade pode causar nos computadores e impressoras? Aqui na Empresa onde trabalho, foi refeito todo o cabeamento elétrico por uma empresa contratada, só que ao final fui conferir e notei que a polaridade estava fora do padrão definido pela norma da ABNT. Um abraço e Obrigado!


 
Nilton Costa
jul 10, 2012 at 4:14 pm

Caro Eriberto
Me incluo no grupo de pessoas que não gostou do norma ABNT que estabeleceu o padrão brasileiro de tomadas e pinos elétricos, mas concordo que em se tratando de dispositivos elétricos a norma é necessária e todos deveremos segui-la. Creio ainda que a ABNT utilizou um tipo de tomada que tem similaridade com a que já era utilizada anteriormente para circuitos até 10 amperes, e isso diminui a necessidade de troca de todas as tomadas antigas imediatamente. Infelizmente, a chamada "padronização" é um conceito local e imposto por autoridades de cada país ou grupo de paises. Há pessoas que confundem padronização com soberania nacional. Estive na Inglaterra e na Noruega e eles usam tomadas enormes e aparentemente bastante seguras. Sempre gostei do padrão dos USA, até porque é difícil resistir aos baixos preços de equipamentos eletrônicos praticados por lá. Enfim, nada que um adaptador ou dois não resolvam no curto prazo. Claro que existem pessoas preocupadas e comprometidas com as polaridades e os aterramentos dos nossos aparelhos e talvez um dia um organismo mundial consiga o feito impossível de instituir a "tomada ideal" e todos os habitantes da Terra viverão livres dos riscos de serem eletrocutados pelos adaptadores, gambiarras, fios descascados ou não apropriados, benjamins, etc. Por via das dúvidas, já comecei a comprar as tomadas "jaboticabas" e trocando aos poucos. Grande abraço.


 
Ruy Rossetto
jul 13, 2012 at 6:45 pm

Este padrão inventado aqui é uma Sacanagem! Só para alguém faturar algum nisso aí! Coisa da época da Cortina de Ferro! ou de Ditadura! Conclusão: Todos sistemas do planeta terra estão errados, com exceção do padrão brasileiro...?!?!?!?!?!?!?!?!?


 
André W.
jul 30, 2012 at 8:53 am

Prezado Marcos Morais,
Você fala dos exageros, mas suas colocações é que estão um tanto exageradas, me desculpe. Em primeiro lugar, não é só de "morte" que são feitas as estatísticas. Pequenas queimaduras e DIVERSOS incêndios (e princípios de incêndio) têm suas origens em instalações elétricas precárias. Pergunte ao Corpo de Bombeiros de sua cidade e verifique com eles as estatísticas. Você vai ter uma surpresa. Princípio de incêndio e pequenos acidentes domésticos não viram notícia de jornal.
Segundo, sua afirmação quanto ao "padrão europeu" está equivocado. Na França e Alemanha são usados o padrão chamado coloquialmente de Schuko (que é na realidade o nome do fabricante e não do padrão CEE 7/4). Na realidade, os modelos Francês e Alemão tem o sistema de aterramento diferenciado, requerendo um plug híbrido para adaptação aos dois padrões. Existe também na Alemanha uma tentativa de aprovação de uma variante similar, sem o aterramento. A Inglaterra utiliza um tipo completamente diferente de tomada, com pinos grossos retangulares e um tipo de tampa interna que reduz o risco de crianças enfiarem arames nos orifícios (o pino terra tem de conectar para liberar a tampa dos outros. Na Suíça, o sistema é parecido com o novo padrão Brasileiro (mas não idêntico). No Japão (eu sei, não fica na Europa) também é diferente (é o sistema de pinos chatos com o neutro mais largo. Quando Europeus viajam na própria Europa ou para o Japão ou para os EUA, ou quando os Norte-americanos vão à Europa, acontece exatamente a mesma coisa. Por isso existem inúmeros adaptadores de viagem disponíveis no mercado (eu mesmo possuo três deles). Trabalho com equipamentos em grandes embarcações marítimas, e cada navio que visito tem um tipo de tomada diferente, dependendo de onde foi construído. Não estou deliberadamente defendendo a escolha do INMETRO ou coisa assim. Apenas informo que essa teoria sobre "soberania nacional" não procede. Ninguém falou em nenhum momento (nem está escrito na norma, eu garanto) que "os estrangeiros que se adaptem e o resto que se dane..." Qualquer opção que fizéssemos NÃO seria compatível com o resto do mundo, pois não existe um padrão no resto do mundo. Na realidade, existia uma iniciativa européia na década de 90 que pretendia padronizar o modelo que o Brasil adotou em toda a Europa. Mas isso não evoluiu mais, que eu saiba.

Veja apenas como ilustração:
http://en.wikipedia.org/wiki/AC_power_plugs_and_sockets

Um abraço,
AW.


 
Mario Moro Fecchio
ago 25, 2012 at 5:29 pm

Quero deixar aqui registrado meu protesto contra esses "doutores" re-inventores da roda. Veja bem, já tínhamos um padrão muito bom (usado nos Estados Unidos) com pinos chatos e aterramento para 110V e pinos chatos maiores com aterramento para 220V, com layout diferente, impedindo que se conectasse um aparelho de 110 em 220, que sempre funcionou muito bem, apesar da falta de cultura de nosso país insistindo em não usar aterramento em instalações elétricas e não seguir as normas. Bastava apenas fabricar as tomadas e plugues com qualidade igual à dos Americanos que tudo continuaria funcionando bem. Além disso, como todo eletricista deve saber, um contato de um pino chato com uma chapa de conexão plana (na tomada) proporciona uma area de contato muito maior e eficiente do que um pino redondo, porque no pino redondo, se houver uma pequena folga, somente uma parte do pino redondo encostará na parte interna redonda do contato da tomada. Será que isso foi considerado? Duvido. Quando começarmos a ter muitos incêndios por mau contato nas tomadas, é que vamos tomar consciência da besteira que foi feita. Além disso, as novas tomadas e adaptadores estão custando uma fortuna. Isso leva a crer que houve interesses pouco éticos nessa coisa toda... Se eu tivesse dinheiro, investiria em uma fábrica de adaptadores. Ficaria rico rapidinho...


 
Miazan
ago 30, 2012 at 8:14 pm

Caro, Eriberto, ótima matéria, sou uma pessoa que tem mais de 20 anos na área de informática com cursos e certificados em servidores e equipamentos de informática, o que quero colocar e apenas uma observação, como disse o amigo Magnus da Siemens passou sobre os novo padrão vale lembrar que a Siemens sempre utilizou de forma incorreta a instalação de suas tomadas ou seja com o aterramento para o lado cima, todos os equipamentos que eram utilizados tinhamos que refazer a conexão pois o Neutro vinha invertido com o Fase, no padrão anterior o terra e para baixo, assim eles determinaram que o terra é para cima no novo padrã causando uma séria de transtornos, existe no mercado alguns fabricantes que estão fazendo o padrão correto ou seja N T F (Neutro a esquerda Terra para baixo e Fase a direita) não faz sentido o terra ficar para cima logicamente não andamos de ponta cabeça e nem temos pés na cabeça certo?
A simbologia de Terra ou aterramento e para que a descarga vá para baixo olhando simbolica e logicamente o terra e para baixo?
Só para concluir, os equipamentos (servidores, computadores pessoais e vários outros equipamentos) utilizam uma proteção eletrônica e também os fuzivéis sempre no Fase se inverter isso os equipamentos ficarão sem a devida proteção podendo queimar até mesmo sem ter descargas elétricas.
Não é só no Brasil que utilizam esse padrão alguns paises da Europa utilizam esse mesmo padrão, quanto a segurança isso uamentou sim, e na minha opinião não deveria mais existir plugues e tomadas com dois pinos e obrigar as empresas a fazer sempre com os 3 pinos, e de suma importância o aterramento ou proteção, a própria Eletropaulo tem nos documentos de instação de rede eleétrica sempre mostrando o aterramento e como fazer.
Eu sempre fiz e continuarei fazendo as instações com o terra abaixo assim não corro o risco de instalar equipamentos se proteção na fase correta, discordo do comentário do Raphael que diz quem nunca retirou um pino terra, eu digo e posso atirar essa pedra, jámais tirei e condeno quem tira, concordo com o André W. em tudo que disse, o padrão foi criado assim como os outros países criaram e é esse o do Brasil.
Caso esteja errado gostaria que algum especialista me respondesse o porque no novo padrão o terra tem que ficar acima.

Sds!!!


 
Eriberto
set 2, 2012 at 6:51 pm

Mario Moro,

Na sua opinião então, a esmagadora maioria dos plugs que usávamos no país deveria ir para o lixo, certo? Ou seja, todas as tomadas deveriam ser trocadas por NEMA-5P, correto? Você não acha que o prejuízo seria maior???

[]s


 
Altair Alves Costa
set 2, 2012 at 11:17 pm

Eriberto,

complementando o assunto, acredito que em relação ao fato de o pino terra ser para cima ou para baixo, é apenas uma convenção. Instalei todas as minhas tomadas desse jeito. Na tomada NEMA-5P, a ordem é, como todos sabem, da esquerda para a direita: neutro, terra e fase. A tomada brasileira usa a mesma ordem, só que com o terra para cima. Na minha opinião não faz diferença desde que a posição relativa entre eles não se altere. Se tivéssemos começado a importar equipamentos de outro país, com outro tipo de tomada, talvez hoje não estivéssemos achando que a americana fosse melhor.
Já foram postados links por aí, mostrando que, na realidade, não existe um padrão. São mais de cem tipos de tomadas diferentes. As pessoas dos países que utilizam um determinado padrão, necessitam de adaptadores quando viajam para outro com padrão diferente.
À medida que os equipamentos forem sendo fabricados com os novos plugues, o problema dos adaptadores vai desaparecendo. No meu entender, adaptador só é perigoso se for de má qualidade. Com certeza, será uma fase passageira. É só esperar a poeira baixar.
Toda vez que ocorre alguma grande modificação, que implique mudanças de hábitos e procedimentos, há um choque, uma reação. Nós estamos no meio dessa mudança. Daqui a dez ou mais anos, ninguém mais vai sentir saudades das tomadas antigas. Os novos técnicos já estarão trabalhando dentro de um novo contexto.

Altair


 
Eriberto
set 5, 2012 at 9:52 am

Oi Altair! Só agora me liguei que era você o Altair que fez posts recentes. Espero que esteja tudo bem contigo.

Bem, na verdade, por convenção, sempre citamos o NEMA-5P e o novo padrão brasileiro com o terra para cima. É mais para padronizar a linguagem. Agora, o terra sempre será oposto ao cabo nas tomadas em 90° e você poderá adaptar de acordo com o posicionamento do seu equipamento. O padrão brasileiro segue o mesmo princípio. Veja as figuras:

http://i01.i.aliimg.com/photo/v0/329766549/90_Degree_NEMA_5_15P_power_cord.jpg_250x250.jpg
http://www.audiovoxeletronicos.com.br/Eshop.Admin/imagens/universodasbaterias/cabo_forca_computador_90graus_frente.jpg

[]s!


 
André W.
out 5, 2012 at 5:40 pm

Eu tento evitar as polêmicas, mas, infelizmente, como existe muita desinformação rodando por aí, às vezes torna-se inevitável alguma contestação. Vamos lá, então...

Não morro de amores pelo novo padrão adotado. Não mesmo. Creio que algumas melhorias importantes poderiam/deveriam ser feitas. Mas não adianta radicalizar, nem lutar contra o já estabelecido. Além disso, os argumentos em geral aqui apresentados contra o novo padrão se resumem a dois tipos: teoria da conspiração ou argumentação falaciosa sobre os "padrões" que já existiam e que deveríamos adotar/manter.

Não comento teorias da conspiração - embora interesses escusos e gente gananciosa exista por aí aos montes, fazendo uso muitas vezes de informações e posições privilegiadas, sem poder provar, não adianta ficar especulando. É, no mínimo, muito improdutivo.

Aos comentários recentes sobre os "doutores" que re-inventam a roda:

1 - O antigo padrão Brasileiro não era o pino chato, idêntico ao dos EUA, como informado pelo comentarista. O padrão Brasileiro sempre foi com pino cilíndrico. E sem aterramento. Mas esse era um padrão não completamente estabelecido, sem legislação de suporte. Por isso, havia uma grande permissividade, na qual os importadores e fabricantes traziam qualquer padrão próprio para cá, com custos menores, naturalmente. Não critico aqui os fornecedores em buscar um menor custo operacional. O consumidor tampouco reclamava. Na falta de uma determinação obrigatória, eles vendiam o que tinham em seus países de origem e era mais barato.

A tomada a que o comentarista se referia, era provavelmente aquela com uma combinação de pinos chatos e redondos, dispostos a 90 graus (e sem aterramento), mais antiga, ou a mais moderna, chamada de "universal", com pinos chatos e redondos lado-a-lado, mais o devido pino de aterramento. As duas conviviam em nossas casas quase que amigavelmente...

Porém, quem nunca adquiriu produtos Japoneses, com o pino neutro mais largo, tendo problema para encaixar na fêmea nacional, com as duas fendas iguais? (muitas das novas "universais" tinham uma fenda maior para comportar os plugs Japoneses.

E o problema do terra (da falta dele)?

E os transformadores e fontes de parede cada vez mais populares, com os IPhones e congêneres? Viviam pendurados pelos pinos, frequentemente expondo os seus terminais e até caindo no chão. Com o novo padrão, pelo menos o suporte mecânico destas fontes de parede fica por conta do alojamento plástico, sem forçar os pinos. Uma solução muito mais elegante.

2 - Embora pareça que uma lâmina plana seja necessariamente melhor que a cilíndrica, sinto informar que isso é só na aparência. Não existem duas chapas absolutamente coplanares. Ao se tocarem duas superfícies (aparentemente) perfeitamente planas, na realidade apenas alguns pontos ou linhas fazem o contato. O contato real se dá em dimensões microscópicas e não naquilo que seu olho é capaz de ver. Abra um relé ou contactor e verá que o contato é efetuado por uma calota e não uma superfície plana. O fabricante não escolheu apenas um ponto de contato por acaso. No caso das tomadas universais, pode se ver que normalmente o contato com a lâmina do plug é realizado em três zonas: uma lâmina opositora e as duas bordas das molas para os pinos cilíndricos.

Olhe no microscópio um contato bem usado, e verá que existem estrias bem finas onde os metais realmente se tocam.

Em contatos cilíndricos bem projetados, é claro, as molas fazem contato ao longo de 3 ou quatro linhas. A questão aqui é a qualidade do projeto e da fabricação e não o seu formato exato.

Dito tudo isso, o referido comentário levanta um ponto importante: a qualidade das lâminas de contato no novo padrão. Infelizmente, tenho pego tomadas onde as lâminas são diminutas e mal dispostas, causando problemas sérios na conexão.

Em especial as tomadas de 20A, que supostamente deveriam comportar os plugs de 10A, têm suas lâminas extremamente complacentes, provendo uma conexão pavorosamente frouxa para os plugs de menor diâmetro de 10A.

A fiscalização pelo INMETRO deveria observar com MUITO critério as forças e estruturas geométricas de fabricação associados à qualidade elétrica, objetivo primário da tomada, além apenas do quesito segurança. Creio que eles estejam falhando muito nisso.

Outro problema na norma é a permissão da produção de tomadas sem o orifício de aterramento. Essa brecha autoriza aos construtores e instaladores o uso de tomadas mais baratas que não serão capazes de receber o plug macho com aterramento. Mesmo que o imóvel não possua grade de aterramento, a norma não deveria permitir a fabricação de tomadas sem o devido orifício, pois o usuário final acabará usando de um adaptador ou, ainda pior, arrancando o pino do cabo do equipamento, ao invés de substituir (de novo) a tomada.

Um outro ponto realmente falho na norma, também levantado pelo comentarista a que me referi, é a questão de não diferenciar tomadas de 100 ou 220 VAC, ambos usados no Brasil. Apesar de muitos equipamentos eletrônicos hoje possuírem regulagem automática, os sistemas mais simples, como motores e resistências não são capazes de se ajustar. Na minha opinião faltou aí um trabalho mais cuidadoso do INMETRO.

Quanto aos diferentes "padrões", gostaria de dar dois exemplos pessoais interessantes aqui. Primeiro, por diversas vezes utilizei as novas tomadas em plugs antigos, sem qualquer problema. A única coisa que às vezes atrapalha é o fato de que alguns fabricantes só expõem o metal na ponta do novo plug, enquanto muitas das antigas tomadas terem suas molas de contato logo na entrada dos orifícios. Isso é um grave problema e também deveria ser visto pelo INMETRO.

A bordo de embarcações europeias, que utilizam o padrão Francês ou Alemão (Schuko), onde muitas vezes trabalho, o padrão Brasileiro se encaixa perfeitamente, dispensando o uso de adaptadores. O plug de 20A é o melhor, pois se adapta muito bem, em especial às tomadas Francesas.

Um abraço a todos!
AW.


 
Gilmar Trevisan
nov 14, 2012 at 8:24 pm

Olá amigos.

Primeiro e mais importante, parabéns ao André W pela completa explicação de todos os pontos apresentados.

Veja os pontos de melhoria que poderiam ser analisados, na minha modesta opinião:

- Tomadas para 20A que aceitam plugs de 10A podem ser um problema quando os contatos não são de boa qualidade. Contatos de materiais pouco elásticos, podem impedir uma conexão eficiente quando do uso de plugues de 10A após a tomada ter sido usada com plugue de 20A. Use seja, a tomada pode ficar 'alargada'. Aliás, por que não um padrão único? Afinal, qual é o percentual dos brasileiros que sabem qual a diferença entre 10A ou 20A?

- Pluques em que somente a extremidade tem cobertura metálica. Eu já tive diversos aborrecimentos tentando usar um plugue que só faz contato se ficar quase desencaixado da tomada. Enfim, um absurdo.

- Equipamentos cujos plugues são tipo lâminas necessitam de adaptadores (que eu detesto)
ou a troca dos plugues. Pior é o caso de alguns carregadores de celulares e fontes de alimentação portáteis, que tem lâminas como contato e não têm o ressalto para entrar nas tomadas novas. Aí só mesmo com os adaptadores. Argghhhh!

- O problema do 220V. Por que não criaram um padrão diferente para 220V? Pensando bem, se no nosso país temos regiões em que 220V é entre fases e outras em que temos 220V entre fase e neutro, o que é uma tomada residencial? Imagine se é cabível uma instalação residencial com 220V entre fase e neutro. Isso dá 380V entre fases. Extremamente perigoso para o consumidor comum. Sem falar que niguém vai instalar um acelerador de partículas em casa. :)

- Se o objetivo é aumetar a segurança das pessoas e edificações,poderíamos até pensar em detector de corrente de fuga para o terra e limitadores de corrente nas tomadas. Mas aí já não seria mais Brasil.

Uma abraço a todos.

Gilmar
Não sou purista, sou chato mesmo.


 
Werner
dez 17, 2012 at 4:50 pm

Ola, olhando as figuras acima tenho de entender que foi invertido pela nova norma a posição do contato do Neutro. Isso significa que usando um dos adaptadores do novo padrão para o anterior utilizado em um PC estou jogando a fase na entrada do Neutro e vice versa.
Acho isso um absurdo, pois no interior dos equipamentos isso deve causar um problema, senão não haverá a fixação do Neutro por uma lâmina maior que da fase.

Estou correto?
Como uma instituição como a Inmetro pode aprovar esses adaptadores??

O que pode acontecer se usar o adaptador assim mesmo?

Abraço

Werner


 
Washington
dez 17, 2012 at 8:03 pm

Tanto faz a ordem fase e neutro? Que eu lembre, fase é na esquerda, o do meio é o terra e o da direita é o neutro. Mas como saber quais dos fios é o fase?

Li algumas pessoas dizendo que não importa. Outras criticaram. Tem risco de segurança?


 
Edivaldo
dez 21, 2012 at 10:40 pm

Queria dar minha opinião particular sobre a nova tomada, achei que era livre para escolher o que achava melhor para mim, mais as coisas não são assim no Brasil, os politicos arrumaram mais este motivo para arrancar dinheiro da população, uma pessoa de pessimo gosto e sem conhecimento tecnico, adotou este padrão que tem terminais circulares, que é mais dificil fazer contato, não pensaram no momento fletor que o cabo faz na tomada que fica sempre mal encaixada e somando tudo isto a qualidade do produto nacional , proto uma merda total, acho muito ruim sermos obrigados a comprar um modelo somente para dar lucro a quem detém esta patente ridícula, mais um truque do PT, acho que o lula não sabe de nada disto também.


 
Gerson Araujo
jan 2, 2013 at 3:08 pm

Em minha nova casa, refizemos toda a elétrica, com projeto, engenheiro elétrico e tudo mais. Tudo está aterrado e no padrão novo. Mas eu tenho equipamentos no padrão velho. Falo de um MacPro.

Certa vez, antes da mudança para o novo endereço, a fonte desse computador queimou. Levamos numa autorizada apple e trocaram a fonte por uma original (custou R$ 1.000,00 essa nova fonte).

Mas agora, no padrão novo, surgiu uma dúvida: esse computador foi construído para ser usado em tomadas do padrão antigo, e quando passo a usá-lo no padrão novo, o pino que antes era neutro, passa a ser fase. Isso pode dar algum problema na fonte de novo?

Pergunto isso, porque ele anda desligando sozinho com poucos minutos de uso (ás vezes nem completa o boot). Será a fonte novamente, mas a elétrica está 100%, aterrada, e com protetor contra surtos (DPS)?

O problema resolve se, ao desligá-lo, deixo ele literalmente fora da tomada, ou desligo o filtro de linha (modelo E-Clamper X-FL-PT-8Bt-2J1-2CF-LD-P) uma noite. Se deixo esse filtro ligado, na manhã seguinte o problema aparece.

Seria a fonte, o filtro clamper, ou a inversão do padrão novo entre a fase e o neutro?


 
Eriberto
jan 2, 2013 at 7:56 pm

Edivaldo, com todo o respeito, nunca ouvi tanta besteira. E que fique claro que não tenho nada a ver com o PT ou com fabricantes.


 
Eriberto
jan 2, 2013 at 7:58 pm

Washington, na minha opinião, se não importasse, não haveria uma norma estabelecendo um padrão. Considere isso.

Grande abraço!


 
Eriberto
jan 2, 2013 at 8:00 pm

Werner, os adaptadores corretos invertem os contatos internamente. Assim, o padrão antigo é plenamente adaptado ao novo.

Abraços!


 
Rubem
jan 2, 2013 at 10:17 pm

Para mim a mudança para o lado oposto do pino foi uma atrapalhada, pois desde que conheci eletrônica a mais de 40 anos nos padrões americanos no equipamento de som (por exemplo) seguia como foi até pouco tempo. A mudança da posição do pino só trouxe maior problema, pois numa instalação onde existe ainda sistema antigo e sistema novo só complica a vida de um técnico. É apenas uma invençaão mal pensada de engenheiro que não quer nem saber do problema dos outros. numa instalação grande e mixta temos que inventar o nosso padrão normal para não deixar o próximo louco.


 
Gerson Araújo
jan 3, 2013 at 6:28 pm

Eriberto, lendo a sua resposta acima ao Werner, fui verificar os adaptadores todos em meu sistema, isto é, se invertiam a fase/neutro. Mas nenhum invertia, isto é, tudo que carece de adaptador (que não dá para trocar o cabo) expressa uma um momento de possível injúria funcional. Seria possível indicar algum modelo ou fabricante que produza esses produtos de forma idônea? Ou vou ter de ir na Santa Efigênia em SP com um multímetro para testar em cada loja? Alguma orientação sobre o tema?

Outra coisa: o cabo. Se trocarmos o antigo por um no padrão novo, certamente ele não vai inverter as polaridades, certo? Uma vez que ele é pensado para produtos na nova regulamentação. Novamente, alguma orientação sobre esse tema?


 
Eriberto
jan 10, 2013 at 5:57 pm

Gerson, até onde testei, grande parte dos adaptadores criados em 2012 invertem. Acho que você pode estar se confundindo com casos como o da SMS.

Veja esta imagem: https://www.balaodainformatica.com.br/images/produtos/imagem1/SMS-ADAP-TOM-NOVO.jpg

Observe que o terra antigo está para baixo e o novo para cima. Nesse caso, na direita você sempre terá a fase. Entendeu?

Agora, se os dois terras estiverem em cima ou em baixo, internamente, deverá haver uma cruz fase-fase e outra neutro-neutro.

Se não entender, tentarei explicar de outra forma.

[]s!


 
Marcio Gomes
jan 19, 2013 at 2:54 pm

Boa Tarde quero saber qual é o padrão das tomadas adotadas pelo Brasil. se é o Europeu ,ou o Americano


 
MLRF
jan 21, 2013 at 11:35 pm

Hoje um eletricista garantiu que tanto faz se trocar o neutro com o fase.
Também acho que se fosse assim não haveria uma norma dizendo qual lado (em relação ao terra) é o neutro e qual lado é o fase.
Mas ele alega que se a corrente é alternada não faz diferença.
Você poderia me citar um exemplo prático de problema causado por polaridade invertida na tomada, que leigos entendam, para eu poder argumentar com o eletricista?
Obrigada.


 
Edson rios
jan 24, 2013 at 9:16 pm

Boa noite gostaria de saber o porque ao ligar uma estufa em uma voltagem de 127 a tenção cai imediatamente para 5 v apenas?isso ocorre também com uma máquina de furar tambem 127 v. a ligação esta ligada em fio 4mm em uma caixa tri separada de outros aparelhos>


 
Romeu Lourenção
jan 30, 2013 at 6:52 am

À prova de estúpido? Bom, se considerarmos o alto grau de estupidez da população brasileira, medido por estatísticas internacionais, creio que não será uma tomadinha que resolverá o problema. Essa aí foi, provavelmente, idéia de algum "gênio" iluminado de um ministério de ciência e tecnologia, pela qual deve certamente ter recebido uma belíssima gorjeta.
Ai, ai, não é desse jeito que iremos ganhar um prêmio Nobel. A Argentina tem cinco, mas que importa? Não somos penta no futebol? Francamente...


 
claudio
fev 5, 2013 at 11:04 pm

ola Eriberto estou fazendo uma instalação nova em um residencia o aterramento para tomadas deve ser individual ou pode montar tipo rede e ligar todas as tomadas juntas grato claudio


 
Jaques
fev 22, 2013 at 9:09 am

Pessoal, estou vendo muita explicação com tecnicismo exagerado. Vou por um caminho mais simples. Nos computadores e estabilizadores antigos a regra era N-F-T (Neutro-Fase-Terra) no sentido do relógio.
E SE TIVESSE INVERTIDO? Causariam "choquinhos" na carcaça ou chassi do seu computador, danificando HDs ao longo do tempo. No sistema atual, o padrão é F-N-T (sentido do relógio).
COMO SABER QUAL É O FURO COM FASE? Multimetro ou chave de teste (custa menos que R$ 5,00). Coloque a chave de teste no furo da tomada, onde acender é o fase. Caso tenha duas fases 220V ambos os furos acendem.

Se vc precisa de adaptador, geralmente seu sistema era N-F-T. Primeiro coloque o adaptador, e faça o teste para achar a Fase. Se não estiver correto, troque o adaptador (alguns realmente são ADAPTADORES) ou inverta os fios na tomada (não esqueça de avisar outrens que fez isso).


 
Eriberto
fev 25, 2013 at 3:38 pm

Edson rios, como você está medindo isso?


 
Eriberto
fev 25, 2013 at 3:42 pm

Sim claudio, pode ser uma rede, desde que o ponto final de aterramento seja sempre único.

[]s


 
Rubem Gustavo
mar 8, 2013 at 3:55 pm

Está havendo uma grande confusão quanto à localização do dos pinos fase e neutro, com relação ao padrão americano. Na realidade o que mudou foi a posição do pino Terra, de inferior para superior. Só isso!


 
Sergio Formento
abr 5, 2013 at 5:49 pm

Olá Adiberto, muito valioso o material colocado no blog. Acredito que vá ajudar muita gente.
Também procurei o conteúdo pela internet, mas informações contraditas e duvidosas. Mesmo pela ABNT a informação é truncada, dependendo de aquisição da norma que regulamenta o novo padrão de tomadas para acesso pleno à informação. Tratando-se de orgão público e regulador, conveniente seria disponibilizar as informações para acesso, independente de aquisição.


 
Marcelo
abr 17, 2013 at 4:10 pm

Estava pesquisando sobre a posição correta da fase e neutro do novo padrão e encontrei esse blog. Adquiri um adaptador no começo do ano passado e estava usando normalmente até que hoje comprei um novo e reparei que realmente eles mudam as posições. Abri cada um para ver se um dos modelos cruzava o neutro com a fase, porém não. Os dois apresentam o certificado do inmetro. São dos mesmos fabricantes e modelo. A única diferença é que o adaptador antigo, a fase ficaria no neutro do padrão antigo. Não sei se existe alguma relação, porém meu notebook sony vaio após 4 meses da garantia queimou a placa mãe (eu estava usando esse adaptador antigo que a fase dele corresponde ao neutro).


 
Eriberto
mai 9, 2013 at 2:58 pm

Grato Lérgio Sormento! ;-)


 
José Henrique Wagner
mai 16, 2013 at 4:34 pm

Prezado Eriberto, parabéns pelo seu trabalho - pessoas assim fazem a diferença em nosso universo.
Suas contribuições sobre a polarização e as discussões decorrentes me foram muito válidas - estou atualizando as instalações de minha casa para adequação à norma.

Entretanto, tive dificuldades em acessar às normas na internet, o que me fez encaminhar um e-mail a um deputado de meu Estado, adiante transcrito (por favor, avalie se eu estou correto).

"Exmo. Sr. Deputado Federal.
Estou me empenhando a adaptar as instalações elétricas de minha residência ao novo padrão regulamentado pela NBR 14.136.
Então, primeiro passo, fui em busca da norma na internet.

Na “busca” do site http://www.planalto.gov.br, nada encontrei.
Na “busca” do site http://www.brasil.gov.br, idem.
Na “busca” do site http://www.inmetro.gov.br, idem.
Na “busca” do site http://www.abnt.com.br, encontrei a norma no catálogo, entretanto, disponível para compra, por cerca de R$ 90.

Encontra-se a norma disponível em servidores na nuvem, tipo 4shared, provavelmente carregados por alguém que copiou-o de alguém que comprou o arquivo da norma.
Nestes casos, tem-se que fazer o cadastramento para o acesso ao download dos arquivos – não oficiais.

Então, questiono, salvo eu não tenha tido a capacidade de buscar corretamente na internet, não seria o caso de normativos, tão importantes quanto este, estarem disponíveis na internet, de forma facilitada e gratuita?
A legislação de acesso à informação apregoa alguma coisa afim?
Existe alguma legislação que nos ampare quanto ao assunto."

Agradecido, jhwagner.


 
José J. Lunazzi
mai 17, 2013 at 11:57 pm

De fato a não diferenciação de tomadas para 220 V das de 110 V é uma besteira. Já queimei aparelho por causa disso, e suponho que possa dar acidentes. Por outro lado, a ABNT fala de muitos acidentes por choque elétrico enganosamente, não dos que interessam, os acidentes por choque elétrico ao se inserir pluges bons em tomadas bem instaladas. A maioria dos acidentes por choque vem por fios soltos ou por líquidos espalhados levando a eletricidade, quando não por gambiarras.


 
Eriberto
mai 21, 2013 at 2:45 pm

José Henrique, agradecido pelas suas palavras e acho que está certo.

[]s


 
Marcos Dias
set 19, 2013 at 5:07 pm

Boa tarde,

Li alguns posts sobre a polaridade invertida (neutro e fase), sendo a fase do lado direito (terra para cima) e neutro na esquerda e também sobre a possibilidade de descargas elétricas em aparelhos cujas as polaridades estejam invertidas e gostaria que alguém pudesse me ajudar com um problema que tive.

Recentemente tive as entradas HDMIs da TV e saídas HDMIs de meu receiver queimadas, além de um condicionador de energia. O motivo, segundo um técnico especialista em conserto de aparelhos de Home Teather, foi a inversão da polaridade. Quando algum aparelho encostava no condicionador de energia recebia um choque e, por fim, senti um cheiro de queimado. Logo em seguida não consegui mais o reconhecimento dos aparelhos, resultando na queima dos HDMIs e do condicionador.

É normal esta inversão ocasionar choque e consequentemente queima de aparelhos ?

Espero contar com a ajuda de vcs.

Obrigado,

Marcos Dias


 
Gustavo
out 16, 2013 at 5:53 pm

Obrigado, muito util.


 
Jaques
out 22, 2013 at 11:07 am

Rubem Gustavo,
Não é só isso. Se você comprar um pseudo adaptador (aquele que não cruza os pinos) o usuário com plug antigo estará ligando o pino antigo que era fase no neutro e vice-versa. O problema é saber se os adaptadores são ADAPTADORES e se o 'TÊNICO' (eu não disse técnico) realmente está se importando para as regras F-T-N. Suponha que você pudesse conectar direto um plug antigo nas tomadas atuais (o terra está para cima como disse), o seu neutro que estava à esquerda vai para direita (você invertou as polaridades). Portanto, não é só isso.


 
Alexandre Magno
out 26, 2013 at 3:14 am

MLRF e demais que querem exemplo de quando a polarização Fase-Neutro é importante. Assistam 355 - ELETRICIDADE - Como fazer para usar chave teste neon com muita claridade.avi a partir dos 9 minutos. O técnico eletricista Zergui Pfleger explica que aquela furadeira de bancada, devido a ser motor/carga indutora, quando interrompendo o neutro, fica perigosamente energizada por indução.


 
Alexandre Magno
out 26, 2013 at 3:17 am

Eriberto, afinal, para as normas ABNT, a polarização importa ou não importa? Eu entendi que o Magno diz não importar, mas a postagem é de 2009 e estamos em 2013. Mudou?

Também: as duas últimas imagens diferem. Percebe?


 
Edilaine
nov 25, 2013 at 1:17 pm

Boa Tarde!

Mesmo a postagem sendo de 2010, o reflexo segue 2013 a dentro, e acredito que vá mais longe. Oq faremos com nossos aparelhos eletricos??? Tenho varios aparelhos novos, nem carregadores de celulares comprados em Junho/2013 estão com este padrão. Sabado fui a procura de um filtro de linha maior, com mais tomadas, e para minha surpresa, não existe no modelo dos outras duas polaridades anteriores, em uma das lojas fui informada q esta proibido vender qualquer coisa na polaridade antiga, que podem ser multados em 3 mil reais por peça q esteja em padrão antigo. Ai me pergunto, e os fabricantes de eletro eletrônico, como ficam??? Não tem obrigação das normas tb??? Vários aparelhos estão sendo vendidos em padrôes antigos. Oq fazer com todos aparelhos q temos em casa??? Isso é um absurdo não adaptadores, benjamins, filtros, mas tem aparelhos com plugs antigos.......fiquei revoltada.


 
Antonio
jan 21, 2014 at 9:51 pm

Olá a inversão de polaridade influi e muito principalmente quando existe uma ligação elétrica entre os dispositivos, por exemplo: micro e uma impressora pela porta usb!
Já encontrei em campo vários exemplos avarias relacionadas à inversão de polaridade. O problema é justamente a ddp, um equipamento tende a "alimentar" o outro equipamento pela ligação elétrica (cabo USB no exemplo) entre os dois dispositivos. Com isso um dos dispositivos, ou mesmo os dois, sofrerá avarias.

Abraços a todos!!!


 
Márcio
fev 16, 2014 at 10:37 am

Tenho em casa as tomadas de padrão antigo. A solução é para onde quer que me mude levarei as tomadas que tenho hoje em casa, até que todos meus aparelhos estraguem e tenha de troca-los. Para quem tem aparelhos pino chato, tenho uma dica que é melhor do que os adaptadores nacionais e serve tanto para quem tem equipamentos com 2 pinos chatos quanto 2 pinos chatos e 1 terra: http://dx.com/pt/p/flat-to-round-power-plug-convertor-3529#.UwC-QXl76R0


 
Erlon
fev 23, 2014 at 7:42 pm

Cara... Eu vi aí acima você falando que está com o apartamento 100% aterrado agora...
Bom queria perguntar você chegou a colocar disjuntores DR no seu quadro?
Se sim. Qual tipo e marcas de DR você usou?
Verificou se a malha de aterramento do prédio está ok? (Com terrômetro, etc...)
Qual a bitola dos fios de atteramento você usou?

Tô perguntando porque tenho situações parecidas aqui...
Grato!


 
Erlon
fev 23, 2014 at 7:47 pm

Com relação esse lance de polaridade o amigo ai em cima tem certa razão...
Mas e seu tiver uma impressora 220V (com 2P +t) padrão novo e tal... e um pc nas mesmas condições mas... 110V. E aí?? Como fica? quem "tenta" alimentas quem??


 
Alexandre Magno
abr 3, 2014 at 9:07 am

Erlon, refere-se a que?


 
Marcos Alberto
jun 30, 2014 at 2:51 pm

Está acontecendo uma coisa curiosa aqui em casa. Eu coloquei uma tomada nova de três pinos na parede onde fica o telefone sem fio. Testei está passando força normalmente, um lado neutro o outro 110 volts. Quando vou plugar a tomada do telefone não funciona o telefone fica apagado. aí testei o plug em outra tomada e está funcionado. Resumindo não tem problema no plug e a tomada está passando energia o que é isso?


 
Alexandre
jul 6, 2014 at 1:00 pm

Sou ignorante em elétrica/eletrônica, e talvez minha dúvida seja estúpida, mas gostaria que me esclarecessem :
Estou reformando apto antigo e obrigatoriamente serão instaladas tomadas no padrão novo brasileiro. Estou montando sistema de Home Theater com um Condicionador de Energia Panamax cujo cabo de saída (fixo) especifica 120V/15A, assim como o fusível de proteção (circuit breaker) é de 15A. Teoricamente esse aparelho aguenta até 15A somando todos os aparelhos conectados nele. Como o cabo é fixo, e padrão americano, terei que utilizar adaptador para a tomada padrão novo. No entanto, pelo que vi esses adaptadores ou aguentam 10A ou 20 A, somente.
1. Há problema em se utilizar adaptador 10A neste aparelho cuja carga máxima de proteção é 15A? Não estarei "perdendo" esses 5A a mais que o aparelho aguentaria ou seja, se ligar todos aparelhos no condicionador com uma carga máxima de 15A o adaptador aguenta?
2. Não seria melhor então instalar uma tomada tipo hospital grade, então, embora a legislação atual brasileira não permita?
3. Por exemplo, poderia usar esse modelo?http://www.tomadasnema.com.br/loja/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=112
Desculpem minha ignorância, mas não encontrei resposta em nenhum lugar.


 

Reply

Copyright © 2014 Eriberto Blog All rights reserved. Acessos desde 19 mai. 08:
desk-mess-mirrored v theme from BuyNowShop.com.